01 de dezembro de 2020
Campo Grande 33º 24º

QUARENTENA

Energisa prorroga para julho aumento da energia em 6,9% no Estado

Segundo tratado, a partir de hoje (8.abril) passaria a valer o aumento, no entanto, a própria Energisa prorrogou o reajuste

A conta de energia elétrica vai ficar 6,9% mais cara para os consumidores dos 74 municípios de Mato Grosso do Sul atendidos pela Energisa, que detém uma base com mais de 1 milhão de clientes, em Campo Grande, Dourados, Corumbá e demais municípios. O reajuste foi autorizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). E anunciado pela própria Energisa, que comunicou o aumento argumentando que trata-se de reajuste previsto no contrato de cessão da concessionária de energia.

Segundo tratado, a partir de hoje (8.abril) passaria a valer o aumento, no entanto, a própria Energisa prorrogou o reajuste para 1º de Julho, devido à crise provocada pela pandemia de coronavírus.    

Às residências o aumento será de 6,89%, os comércios terão aumento de 6,93%. Nos últimos três anos, os reajustes nos contratos com a Energisa provocou aumento de 29,16% ao bolso do consumidor. A concessionária também anunciou que valores que deixarem de ser cobrados durante a pandemia, serão cobrados de forma parcelada do consumidor, a partir de 2021.   

O cálculo foi impactado pelos custos de aquisição de energia, como por exemplo, a compra de energia da Usina Hidrelétrica de Itaipu que é precificada em dólar, a transmissão de energia elétrica, bem como os encargos setoriais.

Por outro lado, o pagamento do empréstimo da Conta ACR e ajustes em rubrica (retirada CDE Decreto) da Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) ajudaram a reduzir o reajuste em aproximadamente – 3,7%. Já a bandeira tarifária contribuiu para reduzir em 2,83% o índice final do reajuste da EMS.

COMPOSIÇÃO DA TARIFA DE ENERGIA