27 de setembro de 2020
Campo Grande 39º 25º

Black Friday

Fotos e pesquisa são estratégias para não ter prejuízo na Black Friday

Consumidores devem fazer fotos dos produtos que querem comprar e levantar os preços antes de fechar negócio

A uma semana praticamente da Black Friday, que tem previsão de movimentar pelo menos R$ 15 milhões em Campo Grande, os consumidores devem ter o celular à mão para fotografar os produtos e fazer uma pré-pesquisa dos preços. As dicas são do superintendente do Procon-MS, Marcelo Salomão que prepara uma megaoperação presencial no dia 29 com a van do Procon Itinerante e 20 fiscais dando orientações aos consumidores nas ruas. Além disso a sede do Procon na Rura 13 de Junho estará aberta das 7 às 19 horas na próxima sexta para ajudar a população. 

Considerada a 4ª melhor data para o comércio e também uma recordista em queixas, os órgãos de defesa do consumidor também já traçaram suas estratégias. “Sabemos que a Black já alcança o 4º melhor lugar em datas comemorativas no comércio, quase chegando a ultrapassar o Dia dos Pais, até porque ela cai em num período em que o décimo terceiro já está na mão do consumidor que pode ser presa fácil para fraudes. Por isso estamos tomando providências para que consumidor tome algumas atitudes”, frisou. 

As dicas do advogado são: Defina antes o que vai comprar, não saia de forma aleatória para as compras e comece a monitorar os preços na pré Black.” O Procon já fez uma pesquisa interna que não será divulgada da pré black para entendermos como será a publicidade daquele estabelecimento”, enfatizou.

Salomão recomenda ainda que a pessoa tire uma foto do produto que estiver com os valores apresentados como promoção para que realmente não seja uma fraude. “Mande para o nosso whats que é 991580088 porque se a publicidade daquele produto estiver 50% de desconto, 50% de mil reais é R$ 500. Então não adianta vir com aquelas fraudes e engodos que o Procon está atento. Nós já temos vários preços dos itens mais consumidos para que possamos investigar no dia 29”, avisou.

O consumidor ainda deve tomar cuidado com a chamada a venda casada, promoções muito grandes exageradas. “Seguro, garantia estendida não aceite. Não leve aquilo que você não quer. Não pode condicionar a venda de um produto a outro. Algumas empresas fazem isso ainda de uma forma mais vil, embutindo a garantia estendida do seguro no preço do objeto e o consumidor só descobre quando chega a fatura”, frisou.

Fazer uma pré-pesquisa de preços ajuda a obter melhor resultado na negociação. (Paulo Francis)
Fazer uma pré-pesquisa de preços ajuda a obter melhor resultado na negociação. (Paulo Francis)

Internet - As compras virtuais, que representam 68% da movimentação na Black também demandam cuidado especial do consumidor. “Alguns sites famosos já estão fazendo Black e oferecendo produtos com descontos grandes. Estamos dando orientrações para que o consumidor verifique se o site tem aquele cadeado de segurança, printe todas as telas, verifique se o chat daquele site funciona”, afirma Salomão.

O Procon tem uma relação de sites não recomendados. “ Temos a relação de sites que não respondem a demanda dos Procons. Por isso dê uma verificada, olhe o chat, as conversas, guarde tudo. Lembrando que você tem o direito de se arrepender numa compra não presencial sem dar motivos., O prazo é de sete dias a contar da chegada do produto na mão do consumidor”, salienta.

O superintendente destaca que o órgão de defesa do consumidor tem obtido mais de 93% de índice de resolução de reclamações. “Os resultados estão acima de 93% de resolução no Procon, um índice altíssimo do que a gente consegue resolver”, acrescentou.