25 de novembro de 2020
Campo Grande 34º 23º

AÇÃO PENAL

Juiz é denunciado por corrupção e lavagem de dinheiro em MS

Investigação aponta que juiz Aldo Ferreira teria enriquecido com propinas e lavagem de dinheiro usando Jesus e venda de carros

O juiz Aldo Ferreira da Silva Júnior, que está afastado do cargo desde novembro de 2018, foi denunciado pelo Ministério Público de Mato Grosso do Sul (MP-MS), por suspeita de vender sentenças (decisões judiciais) e foi enquadrado nos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro. As informações são do Correio do Estado. 

Segundo o site, a denúncia contra o juiz revela que o suspeito praticou crimes enquanto ocupava cargos na Vara de Sucessões e na Vice-Presidência do TJ-MS, onde atuava nos precatórios. Ele teria transformado as instâncias judiciais em “balcão de negócio”.

Para praticar o crime, segundo as investigações, utilizou os ‘talentos’ do advogado Wilson Tavares de Lima e de Jesus Silva Dias, que já foi condenado por tráfico e fingia ser gerente de fazenda em Rochedo.

Ainda de acordo com a denúncia, mesmo após o início das investigações encabeçadas pela Corregedoria do Tribunal de Justiça o grupo continuou a praticar ingerências e passou a ameaçar testemunhas ligadas ao caso.

Aldo foi afastado pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) do cargo de juiz auxiliar da vice-presidência do Tribunal de Justiça para investigações no pagamento irregular de precatórios em 2014. 

O desembargador do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJ-MS) Luiz Gonzaga Mendes Marques determinou que todos os denunciados sejam notificados para audiência de Termo de Conciliação, ou seja, que seja dado prosseguimento ao feito. Eles têm quinze dias, que começam a contar logo a quarentena por conta do coronavírus termine, para se manifestar.

VEJA AQUI A REPORTAGEM COMPLETA DO CORREIO DO ESTADO