10 de agosto de 2020
Campo Grande 32º 19º

Maioria dos indígenas na São José são crianças

Tayná Biazus

Itamar Vargo proprietário da fazenda São José em Japorã, invadida no domingo por índios da etnia Guarani-Kaiowa contou a reportagem do site Ms Notícias algumas novidades que surgiram de no dia de ontem, como a retirada das 600 cabeças de gado da área invadida.

Conforme conta Itamar, com ajuda de uma escolta da PF (Polícia Federal) o proprietário conseguiu entrar na São José acompanhado de outras pessoas e caminhões para transportar os animais para uma fazenda vizinha. O gado foi trancado em uma mangueira e desde então se encontra no local, sem água e sem comida.

Foram mortos pelos índios em torno de 14 animais, sendo dez de corte e quatro leiteiros. Para entrar na fazenda a PF pediu aos índios que recuassem para a sede e não fizessem nenhuma movimentação enquanto os animais eram retirados

Além disso, foram arrancadas algumas paredes da terra com o objetivo de transportar a madeira, além de ser ateado fogo em alguns locais da fazenda. “Aqui tá uma barbaridade. É uma barbaridade o que estão fazendo aqui na São José. Eles (os índios) tomaram conta. Nem na estrada podemos ficar para acompanhar pois eles podem nos atacar. Não podemos fazer nenhuma movimentação sem a autorização deles”, explica Itamar.

O proprietário também afirma que o número de indígenas diminuiu de domingo para hoje, porém, eles continuam armador com facões e armas de fogo. “Eles continuam armados e pintados. Tem idosos, adultos, mas a maioria aqui são crianças”.

Itamar entrou no dia de ontem com um pedido de reintegração de posse. Os indígenas reivindicam a demarcação da área de 9,460 mil hectares, que fica próxima ao Rio Iguatemi.