29 de novembro de 2020
Campo Grande 35º 23º

ANASTÁCIO

Preferência apontada em pesquisa impulsiona pré-candidatura de ex-prefeito

Com Douglas Figueiredo (MDB) liderando, Nildo Alves sofre alta rejeição corre risco de não se reeleger

Enquanto a crise da pandemia do Covid-19 não passa e mesmo com as dúvidas sobre a manutenção do calendário das disputas municipais marcadas para outubro, em diversos municípios de Mato Grosso do Sul as arrumações pré-eleitorais continuam acontecendo. É o caso de Anastácio, uma das localidades na entrada do Pantanal, a 135 km de Campo Grande e com cerca de 25 mil habitantes.

A maioria dos eleitores anastacianos que foi às urnas em 2016 escolheu para governá-los, com 6.542 votos, o tucano Nildo Alves de Albres. Ele venceu, com diferença nada folga – apenas 647 votos – o candidato do PDT, LaércioValério. Para completar, outros dois concorrentes, Coronel Evaldo Mauy (1.437) e Adão Salemaq (136) somaram 1.573 votos. Os números demonstram que, dos votos válidos, Nildo de Albres obteve 46,7% - ou seja, 53,7%, a maioria, não votaram nele.

Este ano, desenha-se a polarização entre Nildo de Albres, que pretende se reeleger, e o seu antecessor, Douglas Figueiredo (MDB). Ambos já foram testados mais de uma vez no comando político-administrativo do Município. Nildo já havia governado de 1997 a 2004 e Douglas de 2010 a 2016. No primeiro mandato, Douglas, que era o vice-prefeito, só assumiu em outubro de 2010, com a morte do prefeito Cláudio Valério.

Se levar em conta a hipótese de ser confirmada a eleição em outubro, hoje, a seis meses do pleito, o cenário anastaciano sugere que o atual mandatário vai enfrentar dificuldades muito complexas para melhorar suas chances de reeleição. É o que aponta um indicador estatístico, constatado na mais recente consulta de intenções de voto, feita pelo Instituto Ranking Comunicação e Pesquisas.

A amostragem foi obtida com entrevistas de 300 eleitores, de 13 a 16 de março deste ano. Com registro na Justiça Eleitoral (043002020-MS), intervalo de confiança de 95% e margem de erro de 5,6%, para mais ou para menos, a pesquisa sinalizou a vantagem de Douglas Figueiredo nas diferentes simulações e ainda acusou elevada rejeição de Nildo.

Na espontânea, o emedebista tem 15,33% e o tucano 10%, menos de um ponto à frente do vereador Dinho Vital, que aparece com 9,33%. Na consulta estimulada, Douglas vem com 27,33% e o pré-candidato do PSDB com 23,67%, enquanto Dinho Vital surge em terceiro (15,33%), Ricardo Carpejani em quarto e Marcos Rondon em quinto (6,67%).

O maior índice de rejeição eleitoral, de acordo com a Ranking, é o de Nildo de Albres: 20,33%, à frente de Marcos Rondon (15,67%), Douglas (12%), Carpejani (9,33%) e Dinho Vital (8,67%)