30 de novembro de 2020
Campo Grande 35º 24º

Traficantes

Traficantes que abasteciam Goiás e Mato Grosso escapam de delegacia em MS

Dois criminosos fugiram do pátio da unidade e entraram no mato

Ação conjunta entre a Polícia Civil de Mato Grosso do Sul e a DRE (Delegacia Especializada de Repressão a Entorpecentes), do Mato Grosso, resultou na prisão de oito pessoas que despachavam drogas para estados vizinhos a partir de Ponta Porã, município localizado a 346 quilômetros de Campo Grande, na fronteira com o Paraguai. No entanto, dois dos investigados, que chegaram a ser presos, fugiram.

A assessoria de imprensa da Polícia Civil disse que o delegado Clemir Vieira Júnior, Chefe da Delegacia Regional de Polícia Civil de Ponta Porã, informou que a dupla escapou logo ao desembarcar da viatura, no pátio da 1ª Delegacia de Polícia da cidade. Antes que fossem autuados, eles correram para um matagal na frente da unidade, por onde fugiram. No entanto, foram identificados e tiveram mandado de prisão preventiva decretados. Além disso, as equipes fazem buscas para tentar encontrá-los.

Conforme divulgado pela polícia do Mato Grosso, as investigações iniciaram há aproximadamente 45 dias, quando a equipe da DRE recebeu informações sobre um carregamento de droga que sairia da fronteira com destino à Cuiabá (MT). Com base na denúncia, os policiais iniciaram buscas e na última sexta-feira (24) se deslocaram até  Ponta Porã, com objetivo de monitorar o carregamento de entorpecente.

Lá, foi possível identificar a residência utilizada pelos traficantes para armazenar a droga,  que seria distribuída para os estados de Mato Grosso e Goiás. Os investigadores fizeram campana no endereço e na tarde desta terça-feira prenderam oito pessoas que estavam com a carga de aproximadamente 600 quilos de maconha. Segundo o delegado da DRE, Vitor Hugo Bruzulato Teixeira, a droga apreendida e os oito suspeitos presos foram encaminhados para Delegacia de Ponta Porã, onde será lavrado o flagrante. “As investigações continuam com objetivo de identificar outros envolvidos, como os responsáveis pelo recebimento da droga em Cuiabá”, disse.