30 de setembro de 2020
Campo Grande 40º 23º

Com a crescente demanda, aeroporto de Dourados deve receber mais investimentos

O aeroporto de Dourados será um dos oito do Brasil que precisam receber mais investimentos do que o previsto inicialmente pelo “Programa de Investimentos em Logística: Aeroportos”, do governo federal. A constatação foi feita durante os estudos realizados para a licitação das obras. No Mato Grosso do Sul os estudos foram feitos pelo consórcio IQS-PJJ, formado pelas empresas IQS Engenharia e PJJ Malucelli.

De acordo com o jornal “O Estado de São Paulo”, as empresas encarregadas de desenvolver os projetos concluíram que serão necessárias obras de maior porte, para melhorar a infraestrutura e garantir serviços adequados em aeroportos fundamentais para a estratégia do governo, os chamados "médios-grandes".

O governo quer dotar de condições para receber aviões de maior porte os terminais de Ribeirão Preto e Bauru (SP), Governador Valadares e Patos de Minas (MG), Rondonópolis (MT), Dourados (MS), Caxias do Sul (RS) e Maringá (PR).

De acordo com a matéria, a presidente Dilma Rousseff quer acelerar as obras nesta primeira metade do ano. O prazo médio esperado para a conclusão dos trabalhos, sem contar eventuais recursos contra os vencedores das licitações, será de nove meses. Será adotado o RDC (Regime Diferenciado de Contratações).

A licitação do primeiro lote das obras, com 20 aeroportos, o governo pretende publicar até o fim deste mês. As primeiras obras serão espalhadas por todas as regiões do país. Até junho, outras 80 licitações devem estar assinadas, cujos estudos de viabilidade técnica e ambiental e anteprojetos finais estão concluídos. As licitações para as obras dos demais 170 terminais devem ficar para o fim de 2014 ou início de 2015.

Os recursos são do FNAC (Fundo Nacional de Aviação Civil), licitados pelo Banco do Brasil. Estados e municípios farão o custeio e a gestão do aeroporto. No caso de Dourados, o aeroporto é administrado pela prefeitura.

Os projetos da SAC (Secretaria de Aviação Civil) terão quatro alternativas de porte dos terminais de passageiros. Dourados deverá receber a maior, de porte médio-grande, já que a movimentação de passageiros cresce muito. Em 2013 a cidade movimentou 63 mil passageiros e deverá fechar 2014 com mais de 120 mil.

No caso da reforma e construção de pistas de pouso e decolagem, as extensões foram estimadas entre 1,6 mil e 2,4 mil metros. Dourados teve ter a sua pista elevada de 1.950 x 30 metros para 2.400 x 45 metros.

Também entram no projeto as dimensões do pátio de manobras das aeronaves e as obras, taxiway e adequações necessárias no raio de até 150 metros das instalações principais.

Dourados é um dos 270 do Brasil e um dos nove de Mato Grosso do Sul escolhidos para receber recursos do “Programa de Investimentos em Logística: Aeroportos”, lançado em 2013 pelo governo federal para fortalecer o sistema aéreo brasileiro. O investimento previsto é de R$ 201,4 milhões em MS e R$ 7,3 bilhões no Brasil.

Dourados Agora