21 de abril de 2021
Campo Grande 32º 18º

RACISMO ESTRUTURAL

Carrefour não vai mais terceirizar segurança; mudança começa em 10 dias

Mudança ocorre após o assassinato de um homem negro a socos em um mercado da rede Carrefour em Porto Alegre

A- A+

Quatro hipermercados no Rio Grande do Sul, do Grupo Carrefour, serão os primeiros a receber a partir de 14 de dezembro seguranças próprios da empresa, que anunciou nesta 6ª-feira (4.dez.2020) que não vai mais terceirizar o seu serviço de segurança. A mudança ocorre após a morte de João Alberto Freitas, de 40 anos, um homem negro, assassinado a socos por seguranças da empresa terceirizada no bairro Passo D'Areia, em Porto Alegre, em 19 de novembro.  

O projeto piloto vai incluir a unidade do Carrefour do bairro Passo d’Areia. O caso motivou protestos antirracistas em todo o Brasil. Em São Paulo, a loja do Jardim Pamplona Shopping foi destruída por manifestantes.

Em Campo Grande (MS) cerca de 50 manifestantes ocuparam os corredores com gritos de não ao racismo. Isso devido ao caso de João não ter sido isolado. Unidades da rede já ganharam o noticiário e as redes sociais por casos de violência e racismo.

Segundo a empresa, o novo modelo é “o ponto inicial para transformação do seu modelo de segurança e faz parte dos compromissos anunciados pela rede”. O recrutamento e treinamento serão realizados junto com associação que reúne empreendedores negros da região de Porto Alegre e “terão como foco a implementação de práticas antirracistas e de uma cultura de respeito aos direitos humanos”.

No data da Consciência Negra (20.nov), um dia depois da morte de Beto, a empresa pediu desculpas em um comunicado e disse que iria reverter todo o resultado das vendas daquele dia para organizações ligadas à luta pela consciência negra. A criação de um fundo de R$ 25 milhões para promover inclusão racial e combater o racismo também foi anunciado.

EIS A ÍNTEGRA DA NOTA DO CARREFOUR:

“Após ouvir as proposições do Comitê Externo e Independente originadas de demandas históricas de organizações negras, o Carrefour, a partir do dia 14 de dezembro, inicia a internalização dos serviços de segurança. O processo de internalização começará pelos quatro hipermercados no Rio Grande do Sul, em um projeto piloto, incluindo a loja Passo D’Areia, em Porto Alegre. O novo modelo é o ponto inicial para transformação do seu modelo de segurança e faz parte dos compromissos anunciados pela rede. O processo de recrutamento e o treinamento dos profissionais para as lojas contará com associação que reúne empreendedores negros da região de Porto Alegre. Todo o processo de internalização da segurança terá como foco a implementação de práticas antirracistas e de uma cultura de respeito aos direitos humanos, além de considerar a representatividade da população brasileira (50% de mulheres e 56% de negros) como um compromisso. A data de admissão dos novos colaboradores está prevista para o dia 14 de dezembro em todas as lojas Carrefour da região, seguindo as etapas de contratação.“