29 de setembro de 2020
Campo Grande 37º 20º

Estudante esfaqueia 20 colegas em escola da Pensilvânia, nos EUA

School buses are parked outside Franklin Regional High School after reports of stabbing injuries in Murrysville Washington - Um estudante esfaqueou nesta quarta-feira vinte de seus colegas em um sangrento ataque em um colégio de ensino médio perto de Pittsburgh (Pensilvânia, leste), segundo as autoridades locais. Ao menos quatro dos feridos, de 14 a 17 anos, estavam em estado crítico pelo ataque que ocorreu na Franklin Regional High School, afirmou o chefe de polícia de Murrysville (subúrbios de Pittsburgh), Thomas Seefeld. O ataque foi realizado por um aluno de 16 anos, que foi detido. Ele tinha em seu poder duas facas. "O jovem avançou pelo corredor com duas facas ferindo as pessoas", afirmou o policial. As autoridades ignoravam as razões do ataque, que começou por volta das 07h15 locais (09h15 de Brasília), antes do início das aulas. A maioria dos feridos sofreu facadas no abdômen e no tórax. O ataque durou meia hora e terminou por volta das 07h45, quando o suspeito foi controlado e detido, disse à AFP um porta-voz dos serviços de emergência locais, Dan Stevens. Sua identidade e idade não foram reveladas até o momento, mas Stevens disse que ele agiu sozinho. "Quatro alunos foram retirados de helicóptero", acrescentou Stevens. Uma declaração no site do centro educacional informou que um "incidente crítico ocorreu na escola de ensino médio". Murrysville, localidade de 20 mil habitantes, está localizada a meia hora de carro a leste de Pittsburgh. Funcionários muito preparados "Os funcionários do colégio estão muito preparados para emergências e, por mais infelizes que estes acontecimentos tenham sido, poderia ter ocorrido algo muito pior", indicou o chefe de polícia, ao destacar a reação das pessoas que trabalham na Franklin Regional High School. As vítimas foram transferidas a ao menos quatro hospitais da região. A escola foi esvaziada e fechada, assim como todas as escolas primárias da região. Dois estudantes, gravemente feridos, precisaram ser operados de urgência, declarou o chefe do serviço de traumatologia do hospital Forbes, Chris Kaufman. "Há feridos em estado grave. Dos oito pacientes que recebemos, dois foram levados à sala de operações e outro era conduzido a este local neste momento. Os dois pacientes operados perderam muito sangue", acrescentou. Um agente de segurança ficou ferido no abdômen, mas sua vida não corre risco. O estudante que realizou o ataque sofreu ferimentos nas mãos. Aparentemente foi contido pelo responsável pelo colégio e por um policial, segundo as autoridades. Este novo drama de violência se soma aos diversos incidentes com armas de fogo em estabelecimentos de ensino nos Estados Unidos. O mais grave dos últimos tempos ocorreu em dezembro de 2012, quando 20 crianças de 6 e 7 anos foram assassinadas por um jovem desequilibrado que depois se suicidou em uma escola primária de Newtown (Connecticut, nordeste). Este drama reabriu o debate sobre um maior controle das armas de fogo no país, mas a legislação federal neste sentido impulsionada pelo presidente americano Barack Obama no Congresso fracassou. France Press