04 de dezembro de 2020
Campo Grande 33º 24º

Oposição síria diz que só irá à conferência de paz se Assad não for

A Coalizão Nacional Síria (CNFROS), que agrupa a maior parte da oposição ao regime de Damasco, disse nesta segunda-feira que está disposta a comparecer à conferência de paz conhecida como Genebra II se for garantida a ausência de Bashar al-Assad no presente e no futuro político da Síria. A Coalizão tomou esta decisão hoje, ao terminar a reunião que realizava desde sábado em Istambul, segundo anunciou em comunicado.A CNFROS "está disposta a participar da cúpula sobre a base de uma transferência de poder completa a um governo de transição que conte com todas as competências, incluída a militar e a de segurança", diz a nota. Também pôs como condição que "nem Assad nem seus assistentes, que têm as mãos manchadas de sangue sírio, desempenhem nenhum papel na fase transitória nem no futuro da Síria". Finalmente, a Coalizão exigiu que, antes de ser assinado um acordo na futura conferência, "se deve garantir a chegada de comboios de ajuda humanitária da Cruz Vermelha, o Crescente Vermelho e qualquer outra organização às regiões sírias em conflito, para resgatar seus habitantes, especialmente mulheres e crianças". A decisão coincide com as ideias adiantadas nos últimos dias pelos porta-vozes da CNFROS e por seu presidente, Ahmed Yarba, quem já tinha avisado que comparecer a Genebra II na situação atual faria a população síria perder toda confiança nestas siglas. No domingo, a Coalizão antecipou que não aceitaria a presença do Irã na conferência se o país não retirar antes suas milícias da Síria, uma condição que o comunicado de hoje não faz referência alguma. A reunião de Genebra, que estava prevista para novembro, foi adiada sem data para dar tempo aos contatos e para que a oposição possa mandar uma delegação representativa. Enquanto alguns grupos rebeldes islamitas rejeitam o encontro, o regime sírio confirmou sua participação, mas não aceita condições prévias nem a saída do poder de Assad. (Agência Terra)