30 de novembro de 2020
Campo Grande 35º 24º

Escola pública de Campo Grande está entre as três melhores do país

A Escola Municipal Agrícola Governador Arnaldo Estevão de Figueiredo está em terceiro lugar no ranking do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) de 2012.  Em primeiro lugar ficou o Colégio Agrícola Dom Agostinho Ikas do Estado de Pernambuco e em segundo a Escola Agrícola de Jundiai do Estado do Rio Grande do Norte, ambas do Governo Federal.

Já no ranking do Enem do Estado de Estado de Mato Grosso do Sul, a Escola Agrícola Ficou também em terceiro lugar. O Colégio Militar de Campo Grande ficou com o primeiro lugar e a Escola Estadual Dom Aquino, de Amambai-MS, ficou em segundo lugar na nota classificatória do Enem.

Atualmente a escola abriga 342 alunos e atende estudantes das regiões do Aeroporto de Santa Maria, Bom Jardim, Três Barras, Cachoeira e Cedro. Os estudantes já conquistaram uma medalha de prata e seis menções nas olimpíadas de matemática.

Segundo o diretor da escola, Moacir José da Silva Borges, a missão da instituição é encaminhar os estudantes para mundo do trabalho. “A maioria dos alunos que passaram pela escola seguiram profissão de veterinário, zootecnia, biologia, agronomia, engenharia ambiental, civil e outros cursos universitários”, disse.

Atividades Práticas da Escola

Manejo bovino: São cuidados de vacinação, aplicação de vermífugos. Na prática, o aluno aprende a tratar o animal e a tirar leite. Nesses trabalhos, há o acompanhamento de um técnico agrícola ou de um professor.

Produção de hortaliças: Os alunos aprendem o cultivo não orgânico em círculo. No centro ficam os frangos e ao redor as plantações de alface, cebolinha, salsinha, hortelã, feijão de vagem e maxixe. Tudo que é produzido é aproveitado, o esterco fica na horta e restos de folhagens servem de alimentos para os frangos.

Avicultura: Os alunos aprendem como são feitas as etapas da evolução do frango. Primeiramente aprendem como preparar o aviário para receber o lote de aves. Após seis meses até eles iniciarem o processo de postura de ovos, que são recolhidos e levados para a cozinha da escola. Para melhor desenvolvimento os frangos são soltos durante o dia e recolhidos à noite para equilibrar o crescimento.

Suinocultura: Como acontece nos outros setores de produção e criação, o aluno aprende todos os ciclos de criação, do nascimento ao abate. Logo que o porco nasce é aplicado o ferro para evitar anemia, os dentes são cordados para não machucar a fêmea na hora da mamada.

Piscicultura: O peso dos peixes varia de um a dois quilos e a produção é acrescentada no almoço dos alunos. Num dos tanques são criados peixes que chegam a ter três quilos, usados para as aulas de desossa. “Desses peixes, nós tiramos o filé e preparamos os pratos para serem servidos na merenda dos alunos”, explicou Moacir.

Diana Christie com assessoria