24 de fevereiro de 2021
Campo Grande 33º 21º

Três anos depois, obras de 3 UPAs não foram concluídas e entrega fica para 2016

Leia também

• Upa Veterinária é aprovada, porém falta interesse em tirá-la do papel

• Bernal contrata empresa investigada na Lama Asfáltica para executar obras em UPA

• Funcionários denunciam: estoque de medicamentos em postos de saúde da Capital está pela metade

• Após denúncia, secretário diz que baixa de estoque de medicamentos será resolvida até fim deste mês

Há três anos e quatro meses, o então prefeito de Campo Grande, Nelson Trad Filho (PTB) anunciou lançamento das obras para construção de três Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), que juntas vão ter capacidade para atender cerca de 260 mil pessoas. Com investimento total de R$ 10,2 milhões, as unidades deveriam ter sido entregues no final de 2012.

Porém, em dezembro de 2015, a realidade é bem diferente. Nenhuma das obras, Moreninhas, Leblon e Santa Mônica, foram entregues e o Ministério da saúde já notificou a Prefeitura de Campo Grande três vezes quanto às consequências que atraso pode causar ao Município.


Conforme informações do Sistema de Monitoramento de Obras do Ministério da Saúde (Sismob) do Ministério da Saúde, a última notificação foi entregue dia 15 de outubro, porém, não houve ainda resposta oficial da Prefeitura. Segundo Ministério da Saúde, caso Prefeitura não responda as notificações com prazo de entrega das unidades, o Denasus será acionado para inspecionar obras e, conforme resultado da inspeção, o Ministério da Saúde pode requerer devolução dos recursos.

De acordo com atual secretário municipal de saúde, Ivandro Fonseca, das três unidades, a UPA Moreninhas deve ser inaugurada em janeiro de 2016 e outras duas em março. Na UPA Moreninhas, porte 3, que será maior da Capital, com capacidade para atender 100 mil pessoas, falta apenas conclusão do projeto elétrico. De acordo com secretário, a Energisa, empresa responsável, se comprometeu a entregar toda instalação elétrica da UPA até dia 20 de janeiro de 2016. Para esta obra, a Prefeitura já recebeu do governo federal R$ 1,890 milhão, o restante, R$ 1,95 milhão vai ser repassado depois que UPA estiver pronta. O secretário garantiu que equipamentos e enxoval da unidade já foram adquiridos.


No caso da UPA do Leblon, porte 2, e Santa Mônica as obras devem ser concluídas no fim de fevereiro de 2016, e previsão de inauguração das unidades é março. Do valor total da obra da UPA Leblon, de R$ 4,2 milhões , a Prefeitura já recebeu R$ 1,5 milhão do Ministério da Saúde, faltando apenas a terceira parcela de R$ 500 mil, que conforme convênio assinado com Ministério, só vai ser repassada após conclusão da obra. O restante, R$ 2,2 milhões é contrapartida do Município. A UPA Santa Mônica foi orçada em R$ 3 milhões, dos quais R$ 1,5 milhão provém do Ministério da saúde e restante é contrapartida do Município.