30 de outubro de 2020
Campo Grande 24º 18º

ASSASSINATO

Guarda que matou a ex, era capacitado no atendimentos a vítimas de violência doméstica

Ele está foragido e foi determinado o afastamento dele das funções e abertura de processo disciplinar

O guarda municipal Valtenir Pereira da Silva, de 35 anos, que matou a tiro a ex-namorada, Maxelline da Silva dos Santos, de 28 anos, em Campo Grande, era capacitado para atender mulheres vítimas de violência doméstica. Ele está foragido e foi determinada abertura de processo disciplinar na corporação.

Conforme publicação no Diário Oficial de Campo Grande, o guarda participou, em outubro de 2019, do Curso de Capacitação de Atendimento às Situações de Violência Contra a Mulher na Segurança Pública Municipal, promovido em parceria com Subsecretaria de Políticas para Mulher.

Ele não trabalhava diretamente no atendimento a vítimas de violência doméstica, porém, era capacitado para a atuação.

Nesta segunda-feira (02), a Guarda Civil Metropolitana de Campo Grande determinou a abertura de processo disciplinar contra Valtenir, o afastamento por 60 dias da função e ainda a suspensão do porte de arma. Determinou ainda, que a arma usada por ele em serviço seja entregue à corporação.

CRIME 

Maxelline participava de um churrasco com amigos e a filha em uma casa no Jardim Noroeste. Na madrugada de domingo (1º), Valtenir foi até o local e a chamou para conversar. Eles discutiram e ele então atirou na cabeça dela.

A amiga de Maxelline viu o crime e ao correr para pedir ajuda, foi baleada e está hospitalizada. O marido dela, o promotor de vendas Sterferson Batista de Souza, de 34 anos, também foi atingido e morreu.

O casal ficou junto por sete meses. Em 17 de fevereiro, a estudante de pedagogia registrou boletim de ocorrência contra Valtenir, o qual estava impedido de se aproximar dela.

A Guarda Municipal não sabe se arma usada por Valtenir é a que ele usa em serviço. Porém, todas foram atingidas por projétil calibre 38, o mesmo usada pela corporação. Somente a perícia irá constatar.

Fonte: G1 MS E TV MORENA