19 de junho de 2021
Campo Grande 27º 14º

Azambuja participa de posse do Ceif e analisa diretrizes do FCO para 2015

A agenda acontece hoje às 10ha na governadoria

A- A+

Reinaldo Azambuja (PSDB), governador do Estado, participa hoje, às 10h, no auditório da Governadoria, da posse dos conselheiros do Ceif/FCO (Conselho Estadual de Investimentos Financiáveis pelo Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste). Também será apresentada, durante a ocasião, uma apresentação do Banco do Brasil referente aos recursos aplicados ano passado e as novas diretrizes para 2015.

O conselho estadual do FCO, reorganizado este mês por decreto do governo, tem como missão tornar mais democrático e acessível a toda a cadeia produtiva os financiamentos públicos.

Essa reorganização acaba garantindo maior abrangência ao Conselho e também o atualiza de acordo com as mudanças estabelecidas pela nova gestão, que alterou a nomenclatura dos órgãos da estrutura do Poder Executivo, realizou fusões e o desdobramento funcional de diversas autarquias e suas competências.

FCO 2014/2015

De acordo com o Banco do Brasil, que operacionaliza os financiamentos, para este ano estão previstos investimentos de R$ 1.386.288.738,35, sendo metade para cada um dos segmentos: rural e empresarial.

No rural, o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar-Reforma Agrária (Pronaf-RA) e as outras modalidades do Programa contarão com R$ 138.644.123,01 milhões e as demais linhas de financiamento rural com R$ 554.500.246,16 milhões.

Já o FCO empresarial terá para investimentos R$ 311.194.442,56 milhões, sendo R$ 30.501.124,82 para infraestrutura, R$40.254.359,24 para o turismo e comércio e R$ 311.194.442,56 milhões para serviços.

Além disso, como novidade no segmento empresarial para o financiamento de pás carregadeiras, empilhadeiras, máquinas de escavar, motoniveladoras, tratores, rolos compactadores e vibro acabadores não haverá necessidade de os tomadores estarem associados a projetos e não haverá limite por beneficiários. Já para a aquisição de caminhões e furgões novos e usados com até quatro anos o limite por tomador passa de R$ 1,5 milhões para R$ 2,2 milhões.

No segmento rural os mesmos tomadores terão o limite aumentado para R$ 1,5 milhão, limitado para até três caminhões. O que vigorava em 2014 tinha limite de R$ 1 milhão.