19 de junho de 2024
Campo Grande 20ºC

CASO MARIELLE FRANCO

Chiquinho Brazão solicita transferência para a Papuda

Ainda parlamentar, acusado quer acompanhar sessões na Câmara federal

A- A+

Preso na Penitenciária Federal de Campo Grande (MS) desde março último, o deputado federal Chiquinho Brazão, sem partido pelo Rio de Janeiro, solicitou através de sua defesa uma mudança para a Penitenciária Federal de Brasília, conhecida como ‘Papuda’.

Brazão é apontado como um dos cérebros por trás do assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista dela, Anderson Gomes

Vamos lembrar: Marielle e seu motorista, Anderson Gomes, foram assassinados em 14 de março de 2018 no Rio de Janeiro, com uma submetralhadora HK MP5. 

De acordo com apurado pelo MS Notícias, Brazão quer voltar à Capital Federal para desfrutar do ar bucólico e acompanhar de perto o processo que pode determinar o futuro de seu mandato na Câmara dos Deputados.

A defesa argumentou que a mudança permitirá a participação do parlamentar nas sessões do Conselho de Ética da Câmara, além de facilitar sua presença nos procedimentos judiciais perante o Supremo Tribunal Federal.

O pedido, enviado ao gabinete do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, responsável pela prisão de Brazão em março, adiciona mais um capítulo ao conto sombrio que envolve o deputado, seu irmão Domingos Brazão e o ex-chefe da Polícia Civil do Rio, Rivaldo Barbosa, todos presos provisoriamente sob a acusação de planejar e por meio de milicianos executar o assassinato de Marielle Franco e seu motorista.

De acordo com a delação premiada do ex-policial militar Ronnie Lessa, um dos executores do crime, os irmãos Brazão teriam prometido lucros exorbitantes, podendo chegar a até R$ 100 milhões, com a morte da vereadora. Um esquema que envolveria loteamentos irregulares e atividades ilegais na zona oeste do Rio, como "gatonet" e transporte clandestino.

AJUDE A PRESERVAR A MEMÓRIA DE MARIELLE FRANCO E ANDERSON GOMES 

Desde que foram executados, Marielle e Anderson foram alvos de diversas fake news produzidas pela extrema direita no Brasil. O Instituto Marielle Franco preparou uma lista em que desmente as principais fake news usadas para atacar a memória da vereadora que teve um legado de luta pela justiça social. Veja a lista de fakes desmentidas aqui

Viu alguma calúnia sobre Marielle Franco circulando em algum lugar? Denuncie AQUI