30 de novembro de 2021
Campo Grande 31º 22º

Investigações da Comissão sobre quebra de decoro de vereadores não tem prazo para conclusão

A- A+

Os trabalhos da Comissão de Ética que investiga possível quebra de decoro dos vereadores na cassação do prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP) em março de 2014, parece longe de chegar ao fim. Nesta quarta-feira (28) a Comissão de Ética se reuniu e repassou ao relator Ayrton Araújo (PT) as defesas prévias dos vereadores, cabendo agora, sem prazo para terminar, analisar página por página, dando continuidade as análises do caso. 

O presidente da Comissão de Ética, vereador João Rocha (PSDB), afirmou ao MS Notícias que apesar das duas mil páginas do processo, a Comissão buscará celeridade para terminar o relatório. “Após a entrega, foram analisadas as defesas prévias dos vereadores, foi repassado ao relator, vereador Ayrton Araújo (PT), e vamos trabalhar em conjunto. Após a análise desses materiais, vamos adotar oitivas e principalmente o compartilhamento de informações para enriquecer o processo. Não temos prazo para concluir os trabalhos, mas assim que finalizado temos até cinco sessões para encaminhar ao plenário e ir para votação. Nosso objetivo é terminar na maior brevidade possível”, afirmou o vereador. 

São investigados o presidente da Câmara afastado e vereador, Mario Cesar (PMDB), Edil Albuquerque (PMDB); Airton Saraiva (DEM); Waldecy Batista Nunes (PTB), o Chocolate; Gilmar da Cruz (PRB); Carlos Augusto Borges (PSB), o Carlão; Edson Shimabukuro (PTB); Paulo Siufi (PMDB) e Jamal Salem (PR).

Além do presidente, vereador João Rocha (PSDB) a Comissão de Ética também é composta pelos vereadores Chiquinho Telles (vice), Herculano Borges, Vanderlei Cabeludo e Ayrton Araújo do PT como relator.