05 de maro de 2021
Campo Grande 28º 21º

Trabalhos continuam...

Justiça ‘libera’ vereadores e afasta provisoriamente nuvem nebulosa na Câmara Municipal

Após a chuva de ontem (30) parece que o céu de brigadeiro que abriu em Campo Grande também ‘amanheceu azul’ na Casa de leis. Isso por que, após a solicitação de afastamento dos 17 vereadores na Câmara Municipal, indicado pelo Ministério Público Estadual, o pedido foi indeferido pelo desembargador [Luiz Claudio Bonassini da Silva e os parlamentares puderam na manhã desta quinta-feira (1) dar continuidade aos seus trabalhos na Câmara. 

Diferente da última terça-feira (29), onde os vereadores ‘esqueceram’ os projetos e ocuparam a tribuna para atacar Bernal, justificando os votos favoráveis a sua cassação em 2014, hoje (1) pode-se dizer que o ‘clima’ ficou leve, a nuvem nebulosa que predominou no início da semana foi embora, porém não eximiu a investigação de vereadores sobre uma possível quebra de decoro na casa, motivada pela Operação Coffee Break. 

Comissão de Ética não para

O presidente da Comissão de Ética, vereador João Rocha (PSDB) comentou sobre a decisão do desembargador e afirmou que agora o clima está mais tranquilo, mas não impedirá as investigações dentro da casa. “Eu vejo que o desembargador teve bastante serenidade e se ele tomou essa decisão é por que foi embasado no que é melhor para Campo Grande. Com relação à comissão de ética, ela continuará trabalhando com equilíbrio e responsabilidade. Estamos aguardando o retorno de um expediente que encaminhamos ao Tribunal de Justiça, solicitando o compartilhamento de informações. A comissão se reuniu ontem (30) às 9 horas e decidimos pelo desdobramento do processo, tornando-os individualizados e após a discussão dos processos. Vamos dar conhecimento aos vereadores com cópias que dizem respeito a cada um, para que em 10 dias elaborem as suas defesas por escrito”, planejou Rocha. 

Antes de ocupar a plenária, o presidente em exercício, Flávio Cesar (PT do B) afirmou que a sensação agora é de que a Justiça está sendo feita, após o indeferimento de afastamento de vereadores. “Não havia nenhuma necessidade de afastamento, conforme o desembargador [Luiz Claudio Bonassini da Silva] falou em sua justificativa. A justiça, nesse caso, está sendo feita e isso permite mais tranquilidade para a Casa dar continuidade aos projetos e também para a população de Campo Grande. Não acredito que os trabalhos na Câmara [de 17 dos 29 vereadores envolvidos nas investigações] prejudiquem as investigações, portanto vamos continuar cumprindo nosso papel. A Comissão de Ética foi criada, posso garantir que os trabalhos da Casa vão continuar. Lembro que o processo de cassação foi feito dentro da legalidade, não surgiu da noite para o dia, ocorreram justificativas. Agora é continuar o que já estávamos fazendo, que é trabalhar pela cidade”, declarou o presidente em exercício da Câmara, Flávio César (PTdoB).

A princípio, a tensão que rondava a Câmara diante de um possível afastamento foi amenizada. O que parece não estar amenizado é o pedido de resposta que a população está exigindo diante das investigações da Lama Asfáltica e da Operação Coffee Break. Este fato,  exigirá um esforço ainda maior da Câmara para melhorar sua imagem e é claro, dando respostas definitivas e convincentes a sociedade.