22 de abril de 2021
Campo Grande 29º 18º

Mesmo preso e sob risco de ser cassado, Delcídio acordou 'confiante', diz assessor do senador

A- A+

O senador Delcídio do Amaral (PT) acordou menos assustado e confiante em reverter situação em que se encontra. A afirmação é do assessor do senador. Eduardo Marzagão, que concedeu entrevista à Agência Brasil. 

De acordo com assessor, que visitou Delcídio na noite de quarta-feira (25) após decisão do Senado de manter prisão, o senador não quis comentar escolha dos colegas e aguarda chegada de seu advogado, Maurício Leite, para traçar estratégia de defesa. Delcídio deve prestar depoimento ainda nesta quinta-feira (26) à Polícia Federal.

“Não conversamos nada sobre a decisão do Senado. Minha preocupação é com o estado de saúde do senador, que tem problemas digestivos que podem ficar acentuados pela tensão pela qual ele passa. Levei comida, café, roupas de cama e o livro A Origem do Estado Islâmico, do jornalista [irlandês] Patrick Cockburn.”, disse o assessor em entrevista à Agência Brasil.

"Na conversa que tive há pouco com o senador, vi que ele está bem melhor do que ontem. Ontem ele estava bastante assustado e, a exemplo de todos que o conhecem, surpreendido com o ocorrido. Mas disse também estar tranquilo, sereno, confiante e absolutamente convicto de que a situação vai se reverter”, acrescentou Marzagão à Agência Brasil.

Delcídio foi preso na manhã desta quarta-feira (25) com autorização do STF (Supremo Tribunal Federal) após descoberta de gravação em que senador aparece articulando rota de fuga para Nestor Cerveró, ex-diretor da Petrobras, preso na Lava Jato, para evitar que ele o citasse na delação. O senador também teria oferecido R$ 50 mil por mês à família de Cerveró para garantir o silêncio do delator. 

Após decidir manter prisão de Delcídio, o Senado já discute possibilidade de instaurar na próxima semana processo na Comissão de Ética para discutir cassação do mandato do senador.