29 de maio de 2024
Campo Grande 18ºC

ELEIÇÕES 2022

Na mesma ala, Riedel e Contar oficializam candidaturas em MS

Representando bandeiras semelhantes, bolsonaristas detém, juntos, 21% dos votos

A- A+

Eduardo Riedel (PSDB) e Capitão Contar (PRTB), ambos oficializaram suas candidaturas para o cargo de governador nesta sexta-feira (5.ago.22), em convenções partidárias em Campo Grande (MS). Eles são praticamente "as mesmas coisas": representam a direita e extrema-direita e disputam o apoio do mandatário Jair Bolsonaro (PL) nas eleições de 2022.  

Riedel é o mais abonado, pois tem como padrinho político o governador Reinaldo Azambuja (PSDB), esse que vem de duas gestões e não quer perder o poder, portanto, elegeu o ex-secretário para a concorrência e o deputado Barbosinha (PP), foi consolidado vice na chapa de Riedel. 

Na convenção, Riedel falou de sua 'limpeza política' e celebrou a gestão Azambuja. "Mato Grosso do Sul será o melhor estado do país para trabalharmos e criarmos nossos filhos. Um estado com oportunidades para nossos jovens, para as mulheres, para quem produz, para os indígenas, para todos. Este é um compromisso que assumo", disse ele, ignorando que o governo o qual integra acaba de realizar uma massacre a comunidades indígenas com uso da força do Batalhão de Choque em Amambai. Relembre aqui. 

Azambuja ao microfone, aponta para Tereza Cristina. Barbosinha foi indicado como vice na chapa de Riedel. Foto: Dudy EliasAzambuja ao microfone, aponta para Tereza Cristina. Barbosinha foi indicado como vice na chapa de Riedel. Foto: Dudy Elias

A escolha de Barbosinha, que é douradense, foi com a estratégia de capturar votos para Riedel, visto que Dourados é o 2º maior colégio eleitoral em MS. "Soldado não foge à luta. Estou animado e confiante. Atendo a região da grande Dourados, segundo maior colégio eleitoral do Estado", até lembrou o próprio Barbosinha, durante a convenção.  

Contar publicou apenas essa imagem em que discursa ao lado de Figueiró. Foto: Redes Contar publicou apenas essa imagem em que discursa ao lado de Figueiró. Foto: Redes 

Contar investe nas mesmas bandeiras de que "é o diferencial na política", afirmações que o levaram a ser eleito deputado em 2018. Além de atacar o governo Azambuja. Ele diz ter o apoio de Jair Bolsonaro, entretanto, já mostramos aqui no MS Notícias que tal afirmação não procede, pois, Bolsonaro chegou a ligar na sexta aos colegas tucanos e por vídeo chamou Riedel de “nosso candidato”.

Apesar de ter sido descartado pelo mandatário, Contar celebrou o apoio de uma figura política bolsonarista do Paraná, o apresentador do SBT, Ratinho: "Esta responsabilidade é digna de um homem que sabe do seu dever. Pode contar comigo, todo mundo sabe que amo esse estado", disse por vídeo. O advogado Humberto Figueiró, conhecido como Beto Figueiró, foi oficializado vice na chapa de Contar.

A madrinha política de Riedel, Tereza Cristina (PP), durante a convenção reforçou que o tucano tem o apoio de Bolsonaro e agradeceu o presidente por posicionar-se na sexta. 

Ambos os candidatos bolsonaristas não estão bem nas pesquisas eleitorais mais recentes. A pesquisa do Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (IPESPE), divulgada nesta sexta-feira (5.ago.22), contratada pelo PRTB, partido de Contar, mostrou que ele tem até agora, apenas 12% dos votos em Mato Grosso do Sul, empatado com a deputada federal Rose Modesto (União Brasil). Logo atrás deles está Riedel que encolheu nesta pesquisa, ficando com 9%. Dentro da margem de erro (3 p.p), Riedel, Contar e Rose estão disputando para ver quem fica em 3º lugar. Atrás deles está a candidata petista Giselle Marques, que conquista 3% dos votos e na laterna está o bacharel em Direito e líder sem-terra, Adonis Marcos (PSOL).

Lideram nesta pesquisa da Impespo, para serem o próximo governador de MS, André Puccinelli com 23% das intenções de votos, contra 19% do ex-prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad (PSD).

Com 2 meses para o pleito, Riedel e Contar devem acabar fechando uma aliança, se quiserem chegar ao 2º turno.