17 de abril de 2021
Campo Grande 31º 20º

Casa nova

Chocolate, com dois pés no PTB, ‘quer que a Justiça seja feita em relação a Olarte’

Durante encontro regional do PTB, que contou com a presença da presidenta nacional da sigla, deputada Cristiane Brasil (RJ), o vereador Chocolate (sem partido) confirmou sua ida ao PTB, após ser expulso do partido do prefeito Alcides Bernal, quando votou a favor de sua cassação em 2014.

Em meio ao ‘caos político’ que Campo Grande está vivendo diante das operações ‘Lama Asfáltica e Coffee Break’, justamente hoje, (2) quando o prefeito afastado Gilmar Olarte se entregou a polícia e foi preso hoje de manhã na 3ª Delegacia de Polícia Civil, no bairro Carandá Bosque, o vereador Chocolate, ex-colega do ‘prefeito afastado preso’, confirmou que retornará a sua antiga casa. “Estou sem partido e vou me filiar ao PTB com a sensação de que estou voltando para minha casa. O PTB foi o partido que eu escolhi desde sempre e com essa nova reestruturação que o Nelsinho está propondo, sinto que posso colaborar nessa nova fase”, explicou o vereador.

?Prisão do 'ex-colega'
Quando questionado sobre a prisão do ex-colega de partido, Gilmar Olarte, o vereador preferiu não ‘aprofundar o discurso’ e conta com o trabalho da Justiça para solucionar o caso. “Espero que em breve a Justiça seja feita, que ela faça o que tiver que ser feito e que tudo seja esclarecido em relação ao Olarte”. Sobre a cassação de Bernal, Chocolate negou que houvesse ocorrido compra de votos na cassação. “É muito ‘disse que me disse’, não existiu compra de votos na cassação, o que aconteceu é que foram identificadas 9 irregularidades na época e por isso o prefeito foi cassado, simples”, explicou ao MS Notícias. 

Para investigar se houve compra de votos na cassação de Bernal, foi criada uma Comissão de Ética que é presidida por João Rocha (PSDB) e tem como membros, Chiquinho Telles, vice-presidente (PSD), Herculano Borges (SD), Ayrton de Araújo (PT) e Vanderlei Cabeludo (PMDB). São investigados os vereadores Mario Cesar, afastado do cargo de presidente da Casa, Edil Albuquerque, ex-líder do prefeito afastado Gilmar Olarte, e Paulo Siufi, todos do PMDB; Airton Saraiva (DEM); Chocolate (PP); Gilmar da Cruz (PRB); Edson Shimabukuru (PTB); Carlão (PSB); e Jamal Salém (PR), ex-secretário de Saúde do Município, que retornou à Câmara após o afastamento do prefeito.