10 de abril de 2021
Campo Grande 35º 20º

CHACHINA | ARIPUANÃ (MT)

3 da mesma família e um garimpeiro são executados a tiros; grávida é poupada

Os corpos das vítimas só foram achados após pessoas denunciarem o desaparecimento do garimpeiro.

Elzilene Tavares Viana, de 41 anos, o filho dela, Luiz Felipe Viana Antônio da Silva, de 19 anos; o marido dela, Leôncio José Gomes, de 40 anos; e Jonas dos Santos, de 25 anos (que era garimpeiro) foram mortos na saída do garimpo de Aripuanã, interior de Mato Grosso, no sábado (21.nov.2020). Havia ainda uma quinta vítima, mas ela foi poupada pelos criminosos por estar gestante. Ela foi levada para a região de Juína e "orientada" a não fazer denúncia.

Porém, segundo a polícia mato-grossense os corpos das vítimas foram encontrados 2 dias depois, na 2ª-feira (23.nov) depois que pessoas próximas procuraram a Polícia Civil para informar sobre o desaparecimento de Jonas, que era garimpeiro e não apareceu para o trabalho.Criminosos ameaçaram sobrevivente                                  

Conforme apurou as investigações as vítimas desciam a serra no garimpo às 9h do sábado (21.nov.2020) quando foram abordadas por quatro homens armados que bloquearam a estrada usando uma caminhonete.

As vítimas foram mortas a tiros, mas Deuzilene tinha parte do corpo carbonizado. Um carro também estava carbonizado.

Equipes da Politec de Juína, assim como policiais civis, estiveram na região para dar início às investigações. A suspeita é de que a chacina tenha relação com o garimpo da região.

As vítimas, então, foram algemadas, levadas para uma estrada, em direção ao município de Juína, e, em seguida, executadas.