25 de setembro de 2021
Campo Grande 36º 21º

ENTREVISTA | EX- DA VÍTIMA

Áudio: "Cheirava cocaína, ameaçava a gente... meu filho não viu, nem contei", diz ex-esposa

Informações iniciais eram de que a criança de 7 anos teria visto o tio assassinar o pai. A irmã do autor nega que a criança tenha presenciado

A- A+

A advogada, Ana Lo Pinto, de 35 anos, estava há 1 ano e 7 meses separada do empresário Erick Wagner Batista Inserra, de 42 anos, morto por 4 tiros disparados pelo ex-cunhado José Bernardino Prado Lo Pinto, de 25 anos, irmão de Ana. O crime aconteceu na tarde de ontem, 4ª-feira (2.dez) no bairro Coronel Antoninho, Região do Segredo em Campo Grande. A mulher nega que o filho, um menino de 7 anos, tenha assistido a execução do pai. “Eu nem contei para meu filho ainda, não sei como vou contar para o meu filho isso”, disse. 

A ex-esposa relatou um Erick violento que não aceitava a separação. Segundo ela, quando estava sem uso de bebida ou entorpecentes Erick era um bom pai, porém sempre violento com ela e até mudava completamente com o filho após, segundo ela, ter contato com drogas. Ouça: 

MS Notícias · Esposa diz que empresário cheirava cocaína e ameaçava ela e a família

Conforme a ocorrência, Erick foi até a residência onde o filho estava na Rua Riachão, casa da ex-sogra. Ana, que estava em São Paulo, disse que o ex-esposo telefonou à ela e pediu para ir buscar o filho, ela autorizou. Ao ir buscar a criança, Erick teria iniciado uma discussão com a sogra, momento em que autor dos disparos entrou na confusão. “Meu filho foi para dentro buscar o videogame, aí que o Erick começou com a loucura dele: – O que que você está olhando seu vagabundo [disse ao autor dos disparos] (...), minha mãe segurou meu filho dentro de casa. Meu filho nem sabe ainda, eu tenho que contar para ele, nem sei como vou fazer isso”, disse Ana aos prantos. Ouça:

MS Notícias · Mãe diz que filho não viu o tio matando o pai; empresário foi assassinado com 4 tiros

Ainda segundo a mulher, está errado o modo como a situação é noticiada. Segundo ela, o que na verdade acontecia eram sistemáticas ações violentas por parte da vítima contra a família dela e contra a ex-esposa. “Estava todo mundo saturado, ele não tinha limites... ele via que a gente não fazia nada e continuava. Meu irmão fez isso porque não aguentava mais. Meu irmão deve ter ficado cego, ficou com tanta raiva. Ele [Erick] fala falava que ia matar minha mãe, ia matar meu pai, porque ele não aceitava a separação”, justificou a ex-esposa. Ouça:

MS Notícias · Ex-esposa relata que empresário assassinado era violento e ameaçava a família

Ainda segundo a mulher, o irmão estava na casa para comemorar a sua formação em medicina veterinária. “Ele ia comemorar que ele pegou o diploma”. Ouça:

MS Notícias · No dia do crime irmão estava na casa para comemorar ter pego diploma

Ela também disse que Erick era um pai presente, porém, as agressões contra ela, fazia o filho sentir medo dele. “Ele ficava com o Matheus, mas aí quando ele me agredia era na frente do meu filho, por isso o Matheus sentia medo dele”. Ouça:   

MS Notícias · Ex-esposa diz que empresário era pai presente mais que filho sentia medo dele

Erick morreu após o irmão de Ana com um revólver calibre .22 correr atrás da vítima e fazer quatro disparos.