02 de maro de 2021
Campo Grande 33º 21º

Avião interceptado em Mato Grosso do Sul estava carregado com 400 kg de cocaína

Na noite desta segunda-feira (16), dois homens foram presos depois de fazerem um pouso forçado e uma pista de grama em Gabriel Monteiro – cidade distante 46 quilômetros de Araçatuba SP – a Polícia Federal apreendeu o avião.

A aeronave Sêneca BEM-810C foi interceptada na região noroeste de Mato Grosso do Sul por três caças A-29 Super Tucano segundo informações da FAB (Força Aérea Brasileira). "A interceptação seguiu os passos previstos no decreto nº 5.144, de 16/07/2004, inclusive com a realização do tiro de aviso, recurso que tem como objetivo alertar o piloto para a obrigação de atender as determinações dos caças da FAB", afirmou em nota oficial assinada pelo brigadeiro do ar Pedro Luís Farcic, chefe do Centro de Comunicação Social da Aeronáutica. 

De acordo com informações do site Folha da Região, o avião foi interceptado quando tentou decolar, os pilotos da Força Aérea pediram apoio da PF (Polícia Federal), que foi até a pista de pouso e realizou a apreensão, também participaram um helicóptero da FAB com cinco soldados.

Foram aprendidos juntos com os dois homens, 380 tijolos de cocaína pesando aproximadamente 400 quilos. Os acusados foram encaminhados para PF de Araçatuba onde deverão ser interrogados sobre a origem da droga e qual era o seu destino, depois seriam encaminhados para penitenciária de Penápolis onde responderão por tráfico internacional de drogas.

Outro caso

No final da tarde sábado (24) aconteceu uma tentativa de interceptação de uma aeronave que não apresentava plano de voo, a FAB (Força Aérea Brasileira), usou um caça para esse operação, que aconteceu entre os municípios de Mundo Novo e Japorã, fronteira com o Paraguai. A perseguição só teve fim quando a aeronave supostamente haveria entrado no país vizinho.

A aeronave até então não identificada, foi encontrada na manhã desta segunda-feira (26), em Paranavaí, interior do estado do Paraná, foi possível identificar marcas de tiros calibre 50 de uso exclusivo das forças armadas, o que foi o suficiente para concluir que se tratava da mesma aeronave interceptada no interior de Mato Grosso do Sul.

Dentro do avião só havia o banco do piloto, o que se fez interpretar que o mesmo seria usado para tráfico ou contrabando, “Esse avião está com várias marcas de projéteis de grosso calibre, isso levanta a suspeita que seja a mesma aeronave interceptada pela Aeronáutica. No interior da aeronave havia apenas um banco, levantando ainda mais a suspeita de que o monomotor é utilizado para o tráfico de drogas ou contrabando”, detalha o delegado responsável pelas investigações, Carlos Henrique Rossato Gomes.

O avião estava abandonado em um hangar, e o piloto teria fugido.