22 de junho de 2024
Campo Grande 24ºC

cocaína engomada em 1,3 tonelada de roupa é apreendida

A- A+

Três mulheres foram presas, na noite desta quarta-feira (19), na rodovia Marechal Rondon, em Araçatuba (interior de SP), com 1,3 tonelada de roupa engomada com cocaína. A carga foi entregue para as acusadas em Ponta Porã (MS), de onde seguiram até Campo Grande (MS) e pegaram um ônibus. O destino final da mercadoria era São Paulo.

Na noite da última quarta-feira, três mulheres foram presas na rodovia Marechal Rondon, em Araçatuba(SP), com 1,3 tonelada de roupa engomada com cocaína. De acordo com o site Região News, a carga foi entregue para as acusadas em Ponta Porã – distante 346 quilômetros de Campo Grande -  de onde seguiram até à Capital e pegaram um ônibus. O destino final da mercadoria era São Paulo.

Os policiais, durante revista ao bagageiro, suspeitaram do cheiro que vinha de três pacotes com roupas. Os policiais usaram um reagente que detecta entorpecentes e ao aplicar o produto, foi constatado que havia cocaína impregnada no tecido das roupas.

A mulher disse não saber da existência do entorpecente, disse ainda que recebeu R$ 300 para levar a mercadoria de Ponta Porã , sua cidade natal, até São Paulo, onde ela desembarcaria no terminal rodoviário da Barra Funda. Ela não informou quem forneceu os pacotes com roupas e nem quem os receberia na Capital Paulista.

Algum tempo depois, outro ônibus foi abordado pelos policiais, que fazia a mesma linha, nop qual foi encontrado mais quatro pacotes de roupa, também impregnada com a droga.

A primeira mulher a levantar a suspeita de tráfico foi uma artesã, de 37 anos. As outras duas autuadas na segunda fiscalização, durante a madrugada, não tiveram as idades fornecidas pela Polícia Civil de Araçatuba, responsável pela prisão. As três foram encaminhadas para a cadeia de General Salgado por crime de tráfico internacional de drogas e descaminho.

Segundo o sargento Edman Silzaky, da Polícia Rodoviária, os dois carregamentos foram feitos pela mesma quadrilha que teria comprado a droga em Ciudad del Este, no Paraguai, para levar à capital paulista. A droga seria retirada pelos traficantes por meio de decantação com outros produtos químicos.

Tayná Biazus