02 de dezembro de 2021
Campo Grande 30º 22º

PC de Taquarussu elucida crime, apreende arma, indicia e prende acusado

A- A+

Na tarde de terça-feira, policiais civis de Taquarussu – distante 325 quilômetros de Campo Grande - prenderam em cumprimento ao mandado de prisão em aberto, Jonas Domingos, 30 anos. Ele é acusado de ameaça, disparo de arma de fogo e lesão corporal dolosa.

O fato aconteceu no último sábado, quando a esposa de 50 anos, do acusado Jonas havia dito que um amigo de 55 anos, que mora na mesma região da fazenda onde o casal reside, a 60 km de Taquarussu, havia mexido com ela “passado uma cantada”, e o esposo com ciúmes, pegou uma espingarda e ameaçou a companheira.

Durante a discussão do casal, Jonas teria desferido um tiro no braço da mulher, e após ele mesmo teria prestado socorro à vítima. No trajeto, uma ambulância do município encontrou com a vítima e a transportou para o hospital municipal, mas no caminho, esposa e marido combinaram uma versão para o disparo.

 Ao ser atendida no hospital, a Polícia Militar atendeu a ocorrência, tanto o marido, quanto a esposa, ambos apresentaram a versão que ela estaria do lado de fora da casa e teria sido alvejada por um disparo de arma de fogo vindo da direção de uma lagoa, onde havia indivíduos ignorados caçando, já que o casal mora em uma fazenda. A ocorrência foi registrada na delegacia daquele município.

Na última segunda-feira durante depoimento, Jonas acabou se arrependendo e confessando o crime, dizendo que havia atirado na companheira por causa de ciúmes, mas que a intenção não era matar e sim assustar.

O homem informou aos policiais onde estaria a arma de fogo para que pudesse ser apreendida e periciada, o que foi feito. De acordo com Jonas, ele tem a espingarda desde o ano passado e teria adquirido de um pessoal do Estado do Paraná que foram pescar na região, pagando R$ 350.

Jonas irá responder por ameaça, disparo de arma de fogo e lesão corporal dolosa. Em consulta, verificou-se que havia um mandado de prisão em aberto pela 1ª Vara Criminal de Barretos, interior de São Paulo, em desfavor de Jonas. Ele foi preso e encaminhado para a Delegacia de Batayporã – distante 306 quilômetros de Campo Grande - onde permanecerá provisoriamente à disposição da justiça.

Tayná Biazus com Assessoria