17 de abril de 2021
Campo Grande 31º 20º

Presos

Rebelião comandada por PCC chega ao fim em Naviraí

A tropa de choque da Polícia Militar invadiu às 6h desta sexta-feira (5), a penitenciária de segurança máxima de Naviraí, onde pelo menos 400 presos estavam rebelados desde a tarde de ontem.

De acordo com o comandante da PM na cidade, o major Everson Rozeni, a rebelião foi controlada e os detentos dominados estão sendo retirados para o pátio do presídio.

O comandante ressalta que duas mortes foram confirmadas. Segundo o major, a rebelião foi feita por detentos ligados à facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital). 

Primeiro Comando da Capital (PCC) é uma organização criminosa do Brasil

O grupo comanda rebeliões, assaltos, sequestros, assassinatos e narcotráfico. A facção atua principalmente em São Paulo, mas também está presente em 22 dos 27 estados brasileiros, além de países próximos, como Bolívia e Paraguai, É considerada a maior organização criminosa do país.

A organização é financiada principalmente pela venda de maconha e cocaína, mas roubos de cargas e assaltos a bancos também são fontes de faturamento. O grupo está presente em 90% dos presídios paulistas e fatura cerca de 120 milhões de reais por ano.

O grupo surgiu em 1993 no Centro de Reabilitação Penitenciária de Taubaté, no Vale do Paraíba, local que acolhia prisioneiros transferidos por serem considerados de alta periculosidade pelas autoridades, e calcula-se que hoje tenha cerca de seis mil integrantes dentro do sistema penitenciário e outros 1,6 mil em liberdade, apenas no estado de São Paulo.

Curiosidade 

 O PCC também é identificado pelos números 15.3.3; a letra "P" era a 15ª letra do alfabeto português, e a letra "C" é a terceira.

Vários dos ex-líderes da organização estão presos, como o criminoso Marcos Willians Herbas Camacho (vulgo Marcola), que atualmente cumpre sentença de 44 anos, principalmente por assalto a bancos, no Centro de Readaptação Penitenciária de Presidente Venceslau, onde está presa toda a cúpula da facção

PCC foi fundado em 31 de agosto de 1993 por oito presidiários.