14 de abril de 2021
Campo Grande 33º 22º

ASSÉDIO

Tatuador é preso suspeito de esfregar órgão sexual no braço de jovem

O tatuador Daniel Sena Gadioli da Silva, de 32 anos, foi preso em flagrante, na sexta-feira (6), acusado de importunação sexual no Rio de Janeiro. De acordo com a vítima, o homem teria esfregado o órgão sexual dele no braço dela. Assim que saiu do estúdio de tatuagem, a mulher foi com a irmã até a delegacia e prestou queixa.

De acordo com a polícia, após o depoimento da jovem, os agentes da 12ª DP (Copacabana) foram até o estúdio e prenderam Daniel em flagrante. À polícia, a vítima relatou que foi ao estúdio com a irmã para fazer uma tatuagem nas costas.

Conforme a jovem, a todo instante ela sentia algo encostar em seu braço, mas acreditava ser o cabo da máquina de tatuagem. Já no fim da sessão, a mulher afirma ter sentido algo encostar no braço dela mais uma vez e decidiu olhar para trás.

Segundo o relato da mulher, nesse momento, ela viu o órgão sexual de Daniel para fora da calça e encostado em seu braço. Em seguida, ela afirma que levantou, questionou o tatuador e começou a chorar.
Ainda de acordo com a jovem, Daniel disse que não era sua intenção, pediu desculpas e afirmou que “ficou duro”, referindo-se ao seu órgão sexual.

Tatuador foi liberado

O tatuador passou por audiência de custódia no domingo (8). A juíza Ariadne Villela Lopes concedeu liberdade provisória com a aplicação de medidas cautelares.

Na decisão, Daniel foi proibido de manter contato com a vítima “por qualquer meio de comunicação, notadamente, mensagens de Whatsapp, SMS, e-mail ou telefonemas”. Ele também deverá manter distância mínima de 500 metros da jovem até que a sentença seja proferida.

Além disso, a juíza determinou que o homem compareça mensalmente em juízo para informar e justificar suas atividades. O pedido do Ministério Público estadual para que Daniel ficasse impedido de atuar como tatuador foi indeferido por esse ser seu único meio de subsistência.

*As informações são do jornal Extra.