04 de julho de 2022
Campo Grande 31º 23º

SAÚDE | COLUNA

Escoliose lombar: saiba mais sobre os sintomas, causas e tratamentos

O problema afeta pessoas de todas as idades, até mesmo as crianças.

A- A+

O que é a escoliose lombar?

A escoliose lombar ocorre quando uma parte da coluna vertebral se curva para um lado. Isso pode acontecer em qualquer região da coluna, mas é mais comum na parte inferior das costas, conhecida como escoliose lombar, e na altura do tórax, denominada escoliose tóraco-lombar. Tal curvatura pode ainda ser mais acentuada para direita ou esquerda. O problema afeta pessoas de todas as idades, até mesmo as crianças.

Contudo, na infância, geralmente não é feito nenhum tratamento, pois, com o crescimento, o problema se corrige sozinho. Porém, dependendo da idade e do grau de curvatura, a fisioterapia pode ser necessária. Além disso, existem casos mais graves da doença que requerem cirurgia, mas são raros.
 

As causas da escoliose podem ser:

Idiopática: que não há nenhuma relação identificada com o paciente e suas características;

Hereditário: onde filhos de pais com escoliose possuem cerca de 20% de chance em desenvolver a doença;

Escoliose secundária: sobretudo, crianças que sofreram de paralisia cerebral, distrofia muscular, espinha bífida, lesões, infecções ou tumores;

Escoliose degenerativa em adultos: onde normalmente a região lombar é a mais afetada, decorrente do desgaste dos discos e articulações da coluna vertebral, conforme a idade se avança.

Segundo o Glauber Andrade Fisioterapeuta especializado , cada caso requer uma avaliação específica:



"A referência para identificar a escoliose, é por meio de uma avaliação por imagem radiográfica, chamada ângulo de Cobb em que se classifica a deformidade da coluna.
Logo, curvas de até 10 graus são as chamadas curvas fisiológicas, que dispensam a necessidade de tratamento para escoliose, por serem consideradas dentro do normal.
Agora, curvas de 10 a 20 graus, são leves, e dependendo das características do paciente, o mínimo que pode ser indicado a ele é o acompanhamento periódico, já que a escoliose pode se intensificar. Ângulos de Cobb mais agudos recebem indicação cirúrgica".