13 de junho de 2021
Campo Grande 25º 11º

Espetáculo “Tropeço” será apresentado na Capital neste fim de semana

A- A+

A sede do grupo Circo do Mato recebe sexta-feira, sábado e domingo o espetáculo de animação para adultos “Tropeço”. A apresentação, que conta com o apoio da Fundação de Cultura, acontece em horários alternados: sexta e sábado às 20 horas e no domingo com duas apresentações, às 18h e 20 horas. A entrada é franca e os ingressos começarão a ser distribuídos uma hora antes da sessão.

Mato Grosso do Sul era o último Estado do país que faltava para a Cia. Tato completar todo o país com a turnê de Tropeço, que conta com patrocínio da Petrobrás Distribuidora, por meio da Lei Rouanet. O projeto faz parte da comemoração dos 10 anos da companhia de Curitiba (PR) juntamente dos 10 anos do espetáculo, que além de percorrer o Brasil, também ganhou os palcos de 10 países, incluindo Ásia, Europa e Américas.

Tropeço é parte de uma pesquisa em dramaturgia física, a fragmentação de parte do corpo que ganha personalidade por meio do movimento. “A construção dramatúrgica baseada em ações físicas é um importante aspecto da companhia”, explica Katiane Negrão, artista que divide com Dico Ferreira, a direção do trabalho que já soma uma década. “Essa dramaturgia física é criada durante o processo de trabalho, através de improvisações de cenas, com atenção na comunicação corporal”.

O espetáculo estimula a imaginação do espectador ao recriar por meio de duas mãos a imagem de um ser inteiro. Tratar a velhice de forma não convencional com uma dramaturgia aberta na qual o espectador faz sua própria leitura foi um dos objetivos da Cia. Tato

Sem a utilização de palavras, as personagens possuem uma linguagem inventada. Ruídos, efeitos sonoros, instrumentos e temas musicais são executados vocalmente pelos atores. A exploração desses sons cria uma dramaturgia sonora que acompanha e complementa a física.

O espetáculo - Mãos que executam toda a ação de um espetáculo em 50 minutos. À luz de vela, o espectador é convidado a entrar no mundo delicado e emocional de Tropeço, um teatro que pede atenção e envolvimento. A história é simples: o cotidiano de duas simpáticas velhinhas que moram juntas.

Uma mesa, baús e alguns pequenos objetos criam o ambiente que contraria a visão que temos da velhice: as pequenas ações rotineiras criam um universo de sutileza e extravagância, poesia e comicidade em mãos que andam, dançam, bebem, respiram, riem e choram.

O cenário minimalista é adequado para a atuação e exibição do virtuosismo dos artistas. A linguagem é fruto da junção dos trabalhos corporais desenvolvidos por eles nas áreas de teatro, dança contemporânea, mímica e teatro de formas animadas. “Caminhar pelo simples”, resume Dico Ferreira, um dos atores fundador da Tato. “A pesquisa no teatro de animação se concentra na animação de partes do corpo, principalmente das mãos, e expande-se para a manipulação de objetos”, completa.

Mesa redonda – Além do espetáculo, a Cia. Tato realiza debates com temas como sexualidade e terceira idade. Em Campo Grande este encontro contará com a participação de Caciano Lima (professor, gestor cultural e membro do Fórum LGBT-MS) e Yago Garcia (ator graduado em artes cênicas pela Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul e diretor dos grupos Circo do Mato e Teatral Grupo de Risco). A mesa acontecerá na sexta, às 21 horas, logo após o espetáculo.

Serviço – A sede do Circo do Mato fica localizada na Rua Tonico de Carvalho, 263, Bairro Amambaí. A duração do espetáculo é de 45 minutos e a classificação indicativa é de 14 anos. O espaço Circo do Mato comporta apenas 50 pessoas por sessão e os ingressos serão distribuídos uma hora antes da sessão.

Karla Machado com Assessoria