26 de julho de 2021

FESTA JUNINA

Festa de São João: grandes celebrações seguem de forma virtual em 2021

A- A+

O mês de junho traz consigo as Festas Juninas, período em que é celebrado, da forma mais genuína, a fé e a cultura popular brasileira. Os eventos que homenageiam os santos católicos – Santo Antônio, São João e São Pedro – costumam reunir um grande número de participantes e espectadores, em todos os cantos do país.

Cada região tem uma maneira própria de festejar a data, mas o destaque principal é o impressionante “arraial” de São João, que acontece em maior escala no Nordeste do país.

Embora as grandes comemorações estejam canceladas ou adiadas pelo segundo ano consecutivo, ocorrendo apenas de forma virtual, o espírito da festa permanece aceso nos corações dos brasileiros, aguardando um próximo junho livre da pandemia Covid-19 para voltar aos festejos memoráveis.

Como será a diversão nas festas juninas em 2021?

Embora a vacinação contra a Covid-19 já esteja ocorrendo em todas as regiões brasileiras, a pandemia ainda não chegou ao fim. De acordo com especialistas, é possível que o país enfrente, em breve, uma terceira onda da doença. Portanto, as festas de São João, quermesses das paróquias e outros festejos típicos do mês seguem cancelados em 2021. 

Mas isso não significa que a data deva passar em branco. É possível celebrar as festas juninas mesmo em isolamento social, pois existem várias maneiras de manter as tradições do arraial.  A noite de São João pode ser bem animada em casa, preparando e saboreando todos os quitutes juninos que se tem direito, curtindo uma playlist junina ou assistindo uma live com os melhores artistas do forró do momento. Até uma dança a dois ou uma brincadeira típica com as crianças pode tornar o momento divertido.

Os festeiros de plantão também não podem perder um dos acontecimentos típicos dessa data: o sorteio especial da Quina de São João. Na edição de 2021, a loteria comemorativa vai entregar o seu prêmio recorde: R$ 190 milhões, sorteados no dia 26 de junho, às 20 horas (horário de Brasília). Para participar, basta jogar por conta própria ou fazer as apostas em bolões, que podem ser organizados com a família, amigos, ou estão disponíveis online, nos sites de loteria.

São João do Nordeste conta com shows em formato de “lives”

As duas mais tradicionais festas de São João do Brasil, em Campina Grande, na Paraíba, e Caruaru Pernambuco, famosas por atrair mais de cinco milhões de pessoas em junho, foram novamente organizadas para proporcionar ao público apresentações virtuais.

Em Campina Grande, uma estrutura montada no Parque do Povo – lugar onde tradicionalmente acontece a festa – está pronta para a realização de lives de artistas locais e nacionais. As apresentações acontecem entre 12 e 29 de junho. Um dos shows mais esperados é o da cantora Elba Ramalho, na véspera de São João (23). O evento deste ano homenageará a vencedora do Big Brother Brasil (“BBB 21”), Juliette Freire, que é natural da cidade, e o cantor de forró Genival Lacerda, que morreu de Covid no início do ano.

Da mesma forma, a festa junina de Caruaru, que contava com cerca de 800 apresentações de artistas e grupos locais no Pátio de Eventos Luiz Gonzaga, no centro da cidade, foi cancelada pelo segundo ano. Embora a economia deste município do agreste pernambucano esteja sofrendo um grande impacto pela suspensão do evento, o governo do estado garantiu um auxílio emergencial para os artistas contratados pelo poder público nas últimas edições (2018 / 2019).

Já na Bahia, onde o São João recebe grandes comemorações nas cidades do interior, as festas juninas não têm permissão para nenhuma região do estado. O governador da Bahia emitiu um decreto proibindo a realização de qualquer celebração pública ou particular no período, além de suspender o transporte intermunicipal durante a época do São João.

Origem e simbologia da festa de São João

As festas juninas foram introduzidas no Brasil durante o período em que o país foi colônia de Portugal. As celebrações são inspiradas nas festividades europeias do solstício de verão, período em que se comemorava a colheita no campo.

Ao longo do tempo, as tradições juninas mantiveram alguns dos seus elementos culturais intactos, mas outros sofreram influências das culturas africanas e indígenas. Isso fez com que a festa ganhasse características próprias em cada região brasileira.

Antes de tornarem-se comuns nos grandes centros urbanos, os festejos juninos eram realizados nos sítios e fazendas do interior, com características campestres que se estenderam até os grandes centros urbanos.

Os trajes caipiras, bem como os pratos típicos, remetem justamente ao ambiente da roça. É típico da mesa junina quitutes feitos à base de milho, como o curau, a pamonha, o bolo de milho, a canjica e a pipoca; ou de amendoim, como o pé de moleque, a paçoca e o amendoim cozido. Produtos como o pinhão, o coco, a cachaça, o jenipapo e o vinho, encontrados nas diferentes regiões brasileiras, também são tradicionais na preparação das receitas.

Outros elementos significativos das festas juninas são a fogueira, as bandeirolas, os balões e rojões, os trajes caipiras, a música e a dança.

A fogueira é um símbolo pagão, mas entre os católicos tem um significado que remete ao nascimento de São João Batista. Sua mãe, Santa Isabel, prometeu à Nossa Senhora (Maria) acender uma fogueira para avisar o dia do seu nascimento. E assim o fez, em 24 de junho. Além disso, ela levantou um mastro com um adorno no topo. Isso foi o começo das tradições de São João.

Já a música e a dança são partes importantes das comemorações e giram em torno do forró e da quadrilha. A quadrilha teve origem nas danças de salão europeias, especificamente nos bailados entre casais da corte francesa. O forró pode designar vários ritmos musicais do Nordeste brasileiro, como o baião, o xote e o xaxado, com influências portuguesas, holandesas, o balançar dos quadris dos africanos e o arrastar dos pés dos índígenas.