21 de janeiro de 2021
Campo Grande 28º 21º

Produção local leva ao cinema saga da imigração

Um antigo sonho do cineasta Miguel Horta e da atriz e produtora Tatiany Furuse, a saga da imigração japonesa ganha enfim visibilidade cinematográfica com produção local. É a realização do curta-metragem “Sobá, Trilhos do Silêncio”, no ano em que se comemora o centenário da imigração em Campo Grande.

Com direção de Miguel Horta, além de Tatiany Furuse o filme tem no elenco o ator Chao Chen, que protagonizou o japonês Akira, de “Morde e Assopra”, e faz agora o Namura, advogado de Branca (Ângela Vieira). A previsão para as tomadas e conclusão do curta é para julho próximo.

“Sobá, Trilhos e Silêncio” conta a história fictícia de Elisa, uma jovem nipo-brasileira, criada em São Paulo por mãe solteira. Sem nenhum contato com a família e apartada da cultura oriental, ela retorna a Campo Grande para resgatar suas origens. Segundo Miguel Horta, a obra é baseada em fatos ocorridos a partir da vinda dos primeiros imigrantes japoneses para Campo Grande e a chegada da estrada de ferro no Estado.

Tatiany Furuse nasceu em Londrina, mas morou a maior parte da sua vida com a família em Campo Grande e outros municípios de Mato Grosso do Sul. A jovem atriz já vem andando uma boa e desafiadora estrada no cinema e no teatro. Faz parte do elenco da Rede Globo e vem atuando em peças teatrais e novelas de sucesso, a exemplo da personagem Sumiko, de “Viver a Vida”, na qual contracenou com alguns dos grandes nomes da telenovela brasileira, como José Mayer e Lília Cabral.

Maiores Informações: sobatrilhosesilencio@gmail.com .

Edson Moraes