26 de novembro de 2020
Campo Grande 34º 23º

DESCOBERTA

Cientistas encontram pássaro metade macho e metade fêmea

A ave possui características de macho em um lado do corpo, enquanto que do outro, as características são de fêmea

Uma equipe de pesquisadores encontraram um pássaro da espécie Pheucticus ludovicianus com uma coloração curiosa. Seu corpo possui de um lado, penas vermelhas típicas de um macho da espécie enquanto do outro lado a plumagem amarelo-ouro de uma fêmea. O fato ocorreu durante o monitoramento de populações de aves na Reserva Natura de Powdermill, em Rector, Pensilvânia.

O pássaro rapidamente foi denominado como ginandromorfo bilateral: um animal com aparência metade macho e metade fêmea. As análises revelaram também que a asa direita do animal é um pouco mais longa que a esquerda, diferença típica entre machos e fêmeas da espécie.

“Não houve nenhuma dúvida a respeito”, afirma Annie Lindsay, gerente do programa de anilhamento de aves da Reserva Powdermill.

Segundo a Revista National Geographic, embora o ginandromorfismo signifique simplesmente que um animal possui características femininas e masculinas, os ginandromorfos bilaterais muitas vezes parecem ter diferenças mais drásticas porque essas características são divididas no meio de seu corpo; a separação pode ser tanto interna quanto externa. O ginandromorfismo bilateral é diferente do hermafroditismo, em que um organismo possui órgãos reprodutivos masculinos e femininos, mas pode ter aparência externa masculina ou feminina.

“Esse pássaro está bastante famoso”, afirma Danny Bystrak, biólogo de animais silvestres do Laboratório de Anilhamento de Aves do Centro de Pesquisas de Animais Silvestres de Patuxent, em Maryland, divisão do Serviço Geológico dos Estados Unidos que atua como central de dados das operações de anilhamento de aves em todo o país.

Não se sabe ao certo também qual o possível futuro da ave. Aves fêmeas, assim como os humanos, possuem dois ovários, mas apenas o esquerdo é funcional em passeriformes. Como o lado esquerdo do pássaro ginandromorfo encontrado parece ser fêmea, Lindsay afirma que é possível que o pássaro seja capaz de se reproduzir — embora também tenha de exibir comportamentos de fêmea para atrair um companheiro.

No fim das contas, é possível que nunca se saiba o que ocorrerá com o pássaro da espécie Pheucticus ludovicianus, que é uma ave migratória. Ele foi solto no mesmo dia em que foi capturado e pode estar bem distante, talvez na América do Sul agora.

Foto: Annie Lindsay

Leia mais em National Geographic