31 de outubro de 2020
Campo Grande 26º 18º

Guy King elogia carinho e receptividade dos campo-grandenses

Se apresenta amanhã em Campo Grande o músico Guy King, trazendo o melhor do blues diretamente dos Estados Unidos. Em uma entrevista com o músico, pode-se perceber a simplicidade, a alegria e a educação em pessoa.

Contente em voltar a Campo Grande, onde já esteve no ano passado realizando um show no Hangar, mesmo local em que irá se apresentar no sábado, Guy King conta um pouco de como tudo começou.

Guy conta que começou muito cedo e com apenas 10 anos começou a ouvir música e a tocar clarineta. “Comecei a cantar, dançar, brincar com a música. O primeiro instrumento foi a clarineta, hoje eu já esqueci, mas eu tocava bem, ao menos, eram o que as pessoas diziam”, disse meio a risos. Devido a grande influência de sua família, onde todos sabem tocar algum instrumento como a guitarra e o violão, Guy descobriu que podia cantar e tocar ao mesmo tempo, e por isso começou a fazer barulhos, como disse.

Quando tinha 14 anos o músico começou a ouvir CDs de músicos como Eric Clapton e Michael Jackson. “Eu ouvia e tentava fazer o mesmo barulho que eles, e foi assim que eu comecei. A minha primeira escola foram os CDs”. Guy conta que nunca precisou de um professor, alguns até tentaram ajudá-lo a se aperfeiçoar, porém, ele sempre preferiu aprender sozinha, um autodidata. Ele se apresentava para o público da de uma pequena cidade no interior de Israel, onde nasceu, com alguns amigos.

Há exatamente um ano atrás Guy King veio à Capital e a experiência, de acordo com ele, foi ótima. “Eles quiseram que eu voltasse e eu voltei. Parece que agora vai ser melhor ainda, estou muito feliz”. Guy contou que  sua primeira vinda a Campo Grande foi muito rápida, ele chegou no dia do show, pela manhã, e no outro dia foi visitar Bonito – distante 300 quilômetros de Campo Grande.

O músico elogia a população sul-mato-grossense, que, conforme relembra, foi bastante hospitaleira e o recebeu de braços abertos. “As pessoas que conheci são muito carinhosas, receptivas, me senti muito bem, amanhã vou confirmar novamente isso”, conta.

Em relação ao show de amanhã, Guy revela que tocará músicas que não tocou no ano passado. “Eu sabia que algumas pessoas gostariam que eu tocasse músicas que não toquei, mas muitas vezes em um show não da tempo”. Além das músicas próprias, ele tocará de outros artistas, mas “do seu jeito”. B.B King, Ray Charles, Stevie Wonder e Robert Jhonson são alguns dos músicos que Guy King tem em sua lista de preferências, mas segundo ele, a lista é grande.

Ao encerrar a entrevista, Guy agradeceu a todos os brasileiros de todos os estados que passou, como Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná, Belo Horizonte e Goiás, e espera retornar ao Brasil.

Tayná Biazus