08 de agosto de 2020
Campo Grande 31º 17º

Criadores de gado no MS não recebem vacina contra a aftosa

O município de Ponta Porã fica a 340 quilômetros de Campo Grande, bem na divisa com o Paraguai. Por ser uma região de fronteira, tem um esquema especial de vacinação contra a febre aftosa. O programa é mantido pela Iagro, a agência estadual de defesa sanitária, em convênio com o Ministério da Agricultura.

Nas aldeias e nos assentamentos, a Iagro doa as vacinas e acompanha a imunização, mas no maior assentamento de Mato Grosso do Sul, o Itamaraty, onde vivem mais de três mil produtores, poucos deles conseguiram vacinar o rebanho.

Neste ano de 2013, as doses que seriam doadas pela Iagro não chegaram. Os criadores não querem ver de novo as cenas do último foco de aftosa que ocorreu em Mato Grosso do Sul, em 2005, nos municípios de Eldorado e Japorã, que ficam na fronteira com o  Paraguai. Desde essa época, a vacinação vem sendo feita nessa área com a assistência oficial.

A questão é que, este ano, os recursos federais atrasaram. Só essa semana é que o Ministério da Agricultura autorizou uma verba de R$ 8,5 milhões para esse trabalho. No entanto, a liberação ainda depende do Tesouro Nacional. Em Brasília, o diretor do Departamento de Saúde Animal do Ministério da Agricultura reconheceu o atraso, mas disse que a responsabilidade não é só do governo federal.

Fonte: Globo Rural