07 de maro de 2021
Campo Grande 30º 20º

MS

Aeroportos de MS entrarão apenas em último bloco de concessões

Plano é fechar licitação na Capital, Corumbá e Ponta Porã até 2022

Um dia após o presidente Jair Bolsonaro (PSL) anunciar que 23 aeroportos do País entrarão em leilão de concessão até 15 de março, o Ministério da Infraestrutura informou que os terminais de Mato Grosso do Sul, mais especificamente em Campo Grande, Corumbá e Ponta Porá, deverão ser os últimos a passarem para a iniciativa privada.

Ao Correio do Estado, a Pasta, sob responsabilidade do ministro Tarcísio Gomes de Freitas, informou que os  terminais de Mato Grosso do Sul, junto com o de São Paulo (Congonhas), devem ter o leilão realizado até 2022. 

De acordo com o ministério, somente em março, com a conclusão do leil
ao dos três blocos iniciais de aeroportos, o Governo Federal vai anunciar a próxima rodada de concessão aeroportuária. 

Com isso, serão iniciados os estudos de viabilidade técnica, econômica e ambiental dos três novos blocos de concessão. Concluídas as licitações, o ministério anunciará a sétima e última rodada de aeroportos.

OS PLANOS

A privatização dos aeroportos de Campo Grande, Corumbá e Ponta Porã faziam partes dos planos da equipe de Bolsonaro desde sua eleição. Os três aeroportos do Estado formam o bloco São Paulo-Mato Grosso do Sul. Os investimentos de até R$ 9 bilhões aproximadamente.

Segundo o ministério, o plano prevê até três rodadas para transferir 44 terminais à iniciativa privada. Os aeroportos devem ser divididos em seis blocos regionais

Os blocos da segunda rodada são considerados os mais cobiçados pelo mercado. Além do bloco São Paulo - Mato Groso do Sul, composto de quatro aeroportos, também estão o Rio-Minas, com os terminais Santos Dumont, Pampulha, Uberlândia, Uberaba e Montes Claros e o bloco Cluster Norte II, com os terminais de Belém, Altamira, Marabá, Carajás, Santarém e Macapá. 

O ANÚNCIO

Bolsonaro afirmou em sua conta no Twitter que os 23 leilões de concessão de aeroportos deverão render R$ 3,5 bilhões em investimentos em 12 terminais. A previsão é concluir até março os trâmites das negociações.

 “Composto pelos aeroportos de Recife-PE, Maceió-AL, Aracaju-SE, Juazeiro do Norte -CE, João Pessoa, Campina Grande-PB, Vitória-ES e Macaé-RJ, Cuiabá e Sinop, Rondonópolis e Alta Floresta, todos em Mato Grosso”, explicou o presidente.

A meta faz parte do planejamento de ações dos 100 primeiros dias de governo, divulgado pelo ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, no fim de janeiro.

“Todos os leilões dos aeroportos citados estão previstos para serem realizados até março deste ano, conforme anúncio feito pela @ppinvestimentos . Qualidade no serviço específico, empregabilidade e economia. Estes são apenas os primeiros passos dentro desta área”, assegurou Bolsonaro.
 
O ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, responsável pela área, já havia anunciado que o processo relativo a 12 terminais ocorreria em 15 de março. De acordo com os cálculos feitos pelo governo, a estimativa é arrecadar R$ 6,4 bilhões até o fim do ano, considerando a concessão de todos os aeroportos.
 
Além dos terminais aeroportuários, o Ministério da Infraestrutura ainda pretende arrendar mais 10 terminais portuários e a Ferrovia Norte-Sul ainda nos 100 primeiros dias de governo. O valor total estimado em investimentos com essa ação supera R$ 7 bilhões.