27 de outubro de 2020
Campo Grande 28º 22º

DEAM

Mais duas mulheres denunciam ginecologista por assédio e injúria racial

A Polícia Civil do Mato Grosso do Sul, através da Delegacia Especializada de Atendimento a Mulher (DEAM), informou que após aColetiva de Imprensa na data de ontem (28) relacionada aos Inquéritos Policiais que investigaram os crimes de Assédio sexual e importunação sexual com autoria atribuída ao médico ginecologista, recebeu mais duas denúncias de vítimas do mesmo autor.

Em contato com a Delegada Maíra Machado, foi informado que uma das vítimas, era companheira de trabalho, na época era residente, e sofreu assédio sexual. Uma outra vítima, foi além de sofrer o abuso sexual, ainda sofreu injúria racial. 

A delegada informou que foi feito o pedido da cassação do conselho Regional de Medicina (CRM), mas até o momento o ginecologista continua atuando normalmente, apesar das várias denúncias de cunho sexual contra ele.

O ginecologista já respondeu a três sindicâncias no CRM (Conselho Regional de Medicina), onde foi absolvido, e duas sindicâncias ainda estão em aberto. Uma das que foi absolvido aconteceu em 2015, quando foi registrado um boletim de ocorrência por violação sexual mediante fraude.

Na Deam estão dois casos de técnicas de enfermagem que denunciaram o médico, o de uma paciente e de uma médica. Ele foi indiciado por importunação sexual e assédio sexual.