28 de setembro de 2020
Campo Grande 34º 24º

Morte encefálica

Menina espancada por desconhecido passa por exames para atestar morte encefálica

Nas redes sociais, testemunha divulgou a informação da morte da vítima; criança ainda passa por exames

A menina de 3 anos espancada brutalmente por um desconhecido, no bairro Moreninhas, em Campo Grande, segue internada em estado gravíssimo e passa por exames. O caso aconteceu nesta terça-feira (11).

Ela continua sedada e intubada no CTI (Centro de Terapia Intensiva) pediátrico na Santa Casa da Capital. Segundo assessoria de imprensa do hospital, a criança passa por exames para atestar ou não a morte encefálica.

Nas redes sociais, uma testemunha divulgou a informação da morte da vítima, no entanto, a unidade nega e diz que todos os procedimentos possíveis estão sendo realizados.

Cecílio Martins Centurião Júnior, 34 anos, responsável pelas agressões, foi detido por moradores e deve continuar preso preventivamente atendimento na ala de saúde do presídio, devido aos problemas psiquiátricos.

O autor passou por audiência de custódia nesta quinta-feira (12), no Fórum, onde não quis responder as perguntas.  Agora, Cecílio responde por tentativa de homicídio e tentativa de homicídio qualificado.

A mãe do acusado esteve no local e confirmou que o filho é esquizofrênico, toma remédio controlado e vive vagando pelas ruas do bairro.

Morte encefálica

Segunda a definição do Ministério da Saúde,  morte encefálica é a completa e irreversível parada de todas as funções do cérebro ou ausência de todas as funções neurológica.  

O quadro de morte encefálica só pode ser confirmado pelo médico após a realização de exames padronizados pela resolução 1.480/97, do Conselho Federal de Medicina.

Dois ou mais testes são feitos com intervalo de algumas horas e comprovam a inatividade elétrica e metabólica irreversíveis na cabeça do paciente.