27 de setembro de 2020
Campo Grande 39º 25º

Cerol

"Meu neto não morreu, mas pode ocorrer com outro", diz avó após cerol

Criança, de 6 anos, está internada em estado grave na Santa Casa; menino foi ferido enquanto andava de bicicleta em condomínio

Quase 24 horas depois de um dos maiores sustos na vida da dona de casa Maria Vitorino dos Santos, de 51 anos, a preocupação com o neto Arthur, de 6 anos, ainda é forte. O menino foi vítima de cerol enquanto andava de bicicleta em um condomínio no Jardim Centro-Oeste, na Capital. A avó permitiu que o garoto fosse brincar pelo residencial e, por volta das 14h30 de ontem (15), a criança voltou sangrando, com corte profundo na garganta.

 

“Fiquei com muito medo de perder meu neto. Eu prefiro morrer a ver ele morto”, afirmou dona Maria ao Campo Grande News. Ela, o neto, um filho e a irmã de Arthur, de 1 ano e 4 meses, moram no condomínio há apenas dois meses. Segundo a avó, no local não é permitido que as pessoas soltem pipa o que indica que o responsável pelo ferimento da criança estivesse do lado de fora.

“Ele tem o costume de andar de bicicleta pelo condomínio, sempre peço para ele ter cuidado, e dessa vez depois de 10 minutos ele voltou machucado. Chegou na porta e deu um grito com a voz já fraquinha, ele estava todo ensanguentado e com um buraco no garganta”, conta.

 
Avó mostra roupas claras manchadas de sangue; peças eram usadas durante socorro ao menino (Foto: Marcos Maluf)
Avó mostra roupas claras manchadas de sangue; peças eram usadas durante socorro ao menino (Foto: Marcos Maluf)

Com ajuda de uma vizinha, que é enfermeira, a avó pegou o menino nos braços para levar ao hospital. “Tapei o buraco para tentar estancar o sangue, ele foi perdendo às forças, mas foi forte e só chegou a perder totalmente a consciência quando chegamos na Santa Casa”, relembra Maria.

As roupas que a avó usava no momento que o neto chegou ferido ao local ficaram manchadas de sangue. “Ele perdeu muito sangue e foi preciso tomar algumas bolsas para repor”.

De férias, o pequeno Arhur é descrito pela familiar como um menino alegre, carinhoso e que ama brincar. Andar de bicicleta é uma de suas atividades preferidas, tanto que era o que ele fazia no momento em que foi ferido. Apesar do estado de saúde da criança ainda ser grave, o quadro é considerado estável, conforme a avó.

À reportagem, o hospital afirmou, por meio da assessoria de imprensa, que o menino está no CTI pediátrica sedado e entubado. Arthur se recupera de um procedimento cirúrgico realizado na noite de ontem pela cirurgia geral e vascular.

Para a família, o sentimento o sentimento ainda é de revolta. “Algo precisa ser feito, isso não pode ficar assim. É difícil falar sobre a pessoa que estava usando o cerol, o momento agora é de esperar em Deus e deixar que a Justiça toma conta”, afirma dona Maria ao mencionar que a família irá procurar a DEPCA (Delegacia Especializada em Proteção as Crianças e Adolescentes) para registrar o caso.

“Meu neto não morreu dessa vez, mas pode ocorrer com outro. É um alerta!”, conclui a avó.