28 de novembro de 2020
Campo Grande 36º 23º

80 mm de chuva

Ponte projetada para suportar cheia de córrego caiu após 80 mm de chuva

Em 2015, ponte caiu e prefeitura recebeu recursos da União para erguer uma nova, mais alta e larga

A ponte que custou R$ 1 milhão aos cofres da União foi projetada com maior altura e largura para suportar a cheia do córrego Umbaracá, no anel viário de Nova Andradina, mas acabou caindo na noite de segunda-feira (dia 16), após a cidade registrar 80 mm (milímetros de chuva), recorde, por analogia, no ranking nacional.

O mesmo índice foi alcançado ontem por Laranjeiras do Sul (Paraná), que teve o maior registro de chuva nas últimas 24 horas no Brasil. O município paranaense tem estação do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), enquanto o índice pluviométrico em Nova Andradina foi repassado pela Defesa Civil Municipal.

“A ponte foi construída com altura maior e mesmo assim não suportou o volume da água”, afirma o coordenador da Defesa Civil de Nova Andradina, Hernandes Ortiz. No ano de 2015, a ponte caiu e recebeu recursos do Ministério da Integração Nacional para erguer uma nova, com maior altura e largura. A obra foi entregue no ano passado.

Conforme Ortiz, o córrego é pequeno, mas por receber boa parte da canalização da cidade, enche rapidamente. “Ganha volume de água estrondoso em questão de segundos”, afirma.

A Defesa Civil faz nesta terça-feira (dia 17) o levantamento dos estragos para subsidiar decreto de emergência. Além da queda da ponte, houve avanço de processo erosivo em outros pontos da cidade. Apesar do volume de chuva, não houve registro de alagamentos ou desabrigados.

 

Ponte foi entregue em 2018 e obra custou R$ 1 milhão. (Foto: Defesa Civil de Nova Andradina)Ponte foi entregue em 2018 e obra custou R$ 1 milhão. (Foto: Defesa Civil de Nova Andradina)

Conforme o coordenador, a chuva acumulada em 17 dias de dezembro totaliza 400 milímetros, enquanto o esperado era 250 milímetros em todo o mês. A ponte sobre o córrego Umbaracá fica no contorno viário Fernando Vasconcelos, que havia retirado o trânsito pesado do perímetro urbano, fazendo a ligação com as rodovias MS-134 (saída para Batayporã) e MS-473 (saída para Taquarussu).

Com a interdição, a Defesa Civil orienta que o condutor, quando entra na cidade, deve acessar a avenida Ivinhema que leva ao trevo com Batayporã. Na manhã de hoje, o prefeito José Gilberto Garcia (PR) afirmou que a administração municipal vai comunicar a empresa do Paraná que executou a obra, após vencer o processo licitatório. A ponte de concreto tinha dez metros.

“Temos que ver se a queda foi por causa estrutural ou provocada pela erosão. Mas isso depende do laudo. Em todo o caso estamos notificando a empresa”, disse. Consultados pela reportagem, o prefeito, a procuradoria jurídica do município e a Defesa Civil não souberam informar o nome da empresa responsável pela construção da ponte.

A reportagem também foi informada de que todos os dados estão no Portal da Transparência, mas a busca fica impossibilitada sem o nome da empresa.

Entregue em 2018, a ponte cedeu na noite de segunda-feira (dia 16) durante a passagem de um caminhão carregado com botijões de oxigênio. Não houve feridos. A Agesul (Agência de Gestão de Empreendimentos de Mato Grosso do Sul) destacou que não tem responsabilidade sobre a ponte Umbaracá, em Nova Andradina.

“O recurso financeiro aportado para a construção da ponte foi oriundo do Governo Federal. Já o projeto e execução da obra foram realizados pela Prefeitura, a quem também cabe a função de fiscalizar o local. O recurso estadual foi investido apenas na construção do anel viário na região”, informa a assessoria de imprensa da Agesul.