01 de outubro de 2020
Campo Grande 41º 22º

Fronteira

Suposto sucessor de ‘Minotauro’, ‘Ryguassu’ é capturado pelo Guarras na fronteira

Açõesda Polícia Civil de MS na fronteira resultaram na captura do criminoso considerado sucessor de Sérgio de Arruda Quintiliano Neto, também conhecido como "Minotauro".

Conhecido com ‘Ryguasú’, Edson Barbosa Salinas foi surpreendido pelos agentes do Garras (Delegação Especializada em Repressão a Assaltos a Bancos, Assaltos e Seqüestros) durante uma discussão de trânsito em Ponta Porã no sul do estado.

De acordo com o site ABC Color, Barbosa estava acompanhado de Rodrigo Antunes Flores, 28 anos eles estavam em uma festa, saíram para comprar bebidas em uma caminhonete Toyota SW4, quando teve problemas com Fabio López Villalba, que dirigia um carro da Volkswagen Gol.

Houve discussão calorosa no local, momento em que López sacou uma pistola de 9 mm e apontou para os ocupantes do outro veículo. Da mesma forma eles também apontaram outra pistola calibre .80.

Neste momento policiais do Garras passavam pelo local e os bandidos foram surpreendidos. Os agentes abordaram os três e apreenderam as armas. Além disso, a polícia apreendeu cinco munições de calibre 9 mm e 12 cartuchos calibre .380 vivos. Na posse de Barbosa e Antunes, foram encontrados US $ 4.200 e 4.150 reais.

Posteriormente, foram encaminhados à sede da Polícia. López Villalba será  indiciado por porte ilegal de arma de uso restrito, enquanto Edson Barbosa Salinas e Rodrigo Antunes Flores serão processados por porte de armas, ameaças a policiais e por dirigir embriagado.

O caso aconteceu por volta das 22h do domingo(19), na Avenida Brasil, no coração de Ponta Porã. Edson Barbosa Salinas, também conhecido como "Ryguasú", por ser considerado um criminoso altamente perigoso, foi encaminhado para a prisão de Ponta Porã. Ele é considerado  o sucessor de Sérgio de Arruda Quintiliano Neto, também conhecido como "Minotauro", e que teria liderado ataques contra facções criminosas rivais.

Considerado um dos membros do grupo que matou a advogada argentina Laura Marcela Casuso em Pedro Juan Caballero. O advogado liderou a equipe de assessoria jurídica do traficante de drogas Jarvis Chimenes Pavao, que atualmente cumpre pena na Prisão de Segurança Máxima em Mossoró, no Rio Grande do Norte, Brasil.

Ele também é acusado do ataque à casa do empresário Francisco "Chico" Chimenes, tio de Jarvis. Foi morto a tiros em janeiro de 2019. Na ocasião, a polícia coletou 190 cartuchos de espingarda de calibre 556 e 762.