30 de outubro de 2020
Campo Grande 24º 18º

Escola Técnica fica pronta ano que vem e aulas iniciam em 2015, diz Marçal

Região News

161744_0

O MEC (Ministério da Educação) confirmou ao deputado federal Marçal Filho (PMDB) que o prédio que vai abrigar o Instituto Federal e Educação Profissional e Tecnológica de Dourados, a Escola Técnica Federal, será concluído em outubro de 2014, com as aulas tendo início em 2015.

Ao mesmo tempo, o MEC oficiou à Prefeitura de Dourados o pedido para que a administração viabilize o quanto antes um espaço físico provisório para que os cursos profissionalizantes que já estão garantidos pelo deputado sejam oferecidos à população.

Esse desfecho é resultado da audiência que Marçal Filho manteve no início do semestre com o secretário de Educação Profissional e Tecnológica do Ministério da Educação, Marco Antônio de Oliveira, onde o parlamentar discutiu meios de fazer com que a Prefeitura de Dourados viabilizasse espaço para a oferta dos cursos técnicos e profissionalizantes que foram viabilizados junto ao IFMS (Instituto Federal de Mato Grosso do Sul) por intermédio do Pronatec (Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico).

Na semana que passou, o deputado voltou a cobrar celeridade do poder público municipal na oferta dos cursos. "Conseguimos assegurar a construção do IFD (Instituto Federal de Dourados), que vai gerir a Escola Técnica Federal, e as obras estão em andamento, com previsão de conclusão para outubro de 2014, mas precisamos de espaço físico para abrigar os cursos que estão disponíveis para nossos jovens", enfatiza Marçal Filho.

Ele lembra que a oferta dos cursos em outros espaços físicos, enquanto a Escola Técnica Federal não fica pronta, é estratégica para que Dourados não fique fora do Plano de Expansão do Ensino Técnico Profissionalizante do Governo Federal. "Na condição de presidente da Frente Parlamentar de Apoio ao Ensino Técnico, fico preocupado com essa inércia do poder público municipal", reclama.

Marçal Filho lembra que o reitor da UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul), Fábio Edir dos Santos Costa, se prontificou em viabilizar o espaço físico para o curso caso a prefeitura de Dourados não o fizesse, mas até agora o prefeito não respondeu oficialmente ao pedido.

"Agora, com o ofício do MEC, acreditamos que esse impasse irá se resolver, uma vez que outros cursos técnicos de grande procura estão sendo priorizados pelo governo federal e Dourados não pode ficar de fora desse processo", argumenta. "A Prefeitura de Dourados deveria seguir o exemplo de Ponta Porã, onde a parceria com a Uems possibilitou que os estudantes iniciassem as aulas nos cursos técnicos dois anos antes da construção da Escola Técnica Federal, que foi erguida às margens da BR-463, no Distrito de Sanga Puitã", comenta Marçal Filho. "Se eles tiraram os cursos técnicos do papel lá, por que não podemos fazer o mesmo aqui?", questiona.

A Escola Técnica Federal de Dourados é uma conquista importante do mandato do deputado Marçal Filho, já que a segunda maior cidade de Mato Grosso do Sul havia ficado de fora da primeira fase do Plano de Expansão do Ensino Técnico e Profissionalizante do Ministério da Educação e estava praticamente fora da segunda etapa.

Os esforços do deputado asseguraram não apenas a construção da Escola Técnica Federal em Dourados, mas, também, nos municípios de Naviraí e Jardim.

"Até chegarmos a esta conquista, percorremos um longo caminho de audiências no MEC, criação da Frente Parlamentar de Apoio ao Ensino Técnico e Profissionalizante, audiências nos mais diferentes Ministérios em Brasília e, por fim, audiência com a presidente Dilma Rousseff, que entendeu a importância da iniciativa e lançou o Pronatec", finaliza Marçal Filho.