27 de setembro de 2020
Campo Grande 39º 25º

Secretaria de saúde de São Gabriel do Oeste investe no combate ao tabagismo

Na última terça-feira, a Prefeitura de São Gabriel do Oeste, por meio da Secretaria de Saúde e das Coordenadoras Municipais de Saúde, Isis Finardi e Izabel Pinheiro dos Santos, organizaram uma capacitação aos profissionais de Saúde envolvidos com o Programa do Controle do tabagismo de São Gabriel do Oeste e região. A palestrante foi Micheli Scarpin Ramos – Coordenadora Estadual do Controle do Tabagismo e Carla Tatiane Rodrigues Soares, Nutricionista e Técnica da Atenção Básica no Tabagismo, onde foram abordadas questões sobre o programa em si, como trabalhar o tabagismo com os pacientes, os malefícios do cigarro na vida das pessoas entre outras. Para a coordenadora de saúde Isis Finardi é importante informar adolescentes sobre os malefícios e riscos à saúde que trás o vício do cigarro e a terrível consequência na saúde por conta do Narguilé, (80 minutos fumando o narguilé equivale a 100 cigarros), e aos profissionais, orientações técnicas do funcionamento do programa. A capacitação realizada teve a participação dos municípios de Coxim, Camapuã, Corguinho, Rio Negro e 20 profissionais da Saúde de São Gabriel do Oeste. Os profissionais também foram capacitados para uma melhor abordagem ao fumante nas Unidades Básicas de Saúde (Abordagem breve/básica), como abordar os pacientes que chegarem às unidades de saúde, como perguntar, avaliar, aconselhar e preparar o paciente para o tratamento, assim como demais informações pertinentes ao uso do tabaco. O Secretário Municipal de Saúde, Frederico Marcondes Neto, ficou feliz porque o município sedia mais este importante evento da Saúde que promoveu conhecimento aos profissionais da Saúde. “O tabagismo é uma doença e precisa ser tratada para que o paciente volte a ter uma vida saudável, por isso estamos felizes por termos podido trazer esta capacitação para São Gabriel e capacitarmos nossos profissionais como também de municípios vizinhos a tratarem esse mal”, explica Dr. Fred. O tabagismo O tabagismo é considerado pela OMS- Organização Mundial da Saúde como uma pandemia. No Brasil, segundo informações do INCA-Instituto Nacional do Câncer, 22 pessoas morrem por hora devido ao uso do tabaco. Diante disto a necessidade de expandir o Programa de Controle do Tabagismo, principalmente à capacitação dos profissionais de Saúde para um melhor atendimento à população tabagística é fundamental. Doenças associadas ao uso dos derivados do tabaco A presença de cerca de 4.720 substâncias presentes na fumaça dos derivados do tabaco, faz com que o tabagismo seja responsável por aproximadamente 50 doenças Muitos estudos desenvolvidos até o momento evidenciam que o consumo de derivados do tabaco causa quase 50 doenças diferentes. Está comprovado que o tabagismo é responsável por: • 200 mil mortes por ano no Brasil (23 pessoas por hora); • 25% das mortes causadas por doença coronariana - angina e infarto do miocárdio; • 45% das mortes por infarto agudo do miocárdio na faixa etária abaixo de 65 anos; • 85% das mortes causadas por bronquite crônica e enfisema pulmonar (doença pulmonar obstrutiva crônica); • 90% dos casos de câncer no pulmão (entre os 10% restantes, 1/3 é de fumantes passivos); • 25% das doenças vasculares (entre elas, derrame cerebral). • 30% das mortes decorrentes de outros tipos de câncer (de boca, laringe, faringe, esôfago, estômago, pâncreas, fígado, rim, bexiga, colo de útero, leucemia). No Brasil, o câncer de pulmão é o tipo de tumor mais letal e também uma das principais causas de morte no país. Nas estimativas para o ano de 2010, válidas também para o ano de 2011, são esperados 28 mil novos casos de câncer de pulmão, sendo 18mil homens e 10 mil mulheres Ao final do século XX, o câncer de pulmão se tornou uma das principais causas de morte evitável. O consumo de tabaco é o mais importante fator de risco para o desenvolvimento de câncer de pulmão. Comparados com os não fumantes, os tabagistas têm cerca de 20 a 30 vezes mais risco de desenvolver câncer de pulmão. Em geral, as taxas de incidência em um determinado país refletem seu consumo de cigarros. (Estimativa/2010 – Incidência de Câncer no Brasil – Inca – Ministério da Saúde). Outras doenças relacionadas ao tabagismo: • hipertensão arterial; • aneurismas arteriais; • úlcera do aparelho digestivo; • infecções respiratórias; • trombose vascular; • osteoporose; • catarata; • impotência sexual no homem; • infertilidade na mulher; • menopausa precoce; • complicações na gravidez; Porém, ao parar de fumar, o risco de ter essas doenças vai diminuindo gradativamente e o organismo do ex-fumante vai se restabelecendo.