25 de junho de 2021
Campo Grande 30º 19º

Vacinação contra a raiva será feita em duas etapas na Bolívia

A- A+

A Secretaria de Saúde de Corumbá, através do Centro de Controle de Zoonoses e do setor de Vigilância em Saúde Municipal iniciou a capacitação de profissionais bolivianos que vão atuar na vacinação contra a raiva de cães e gatos de Puerto Quijarro e Puerto Suárez, cidades que fazem fronteira com Corumbá.

“Nesta semana vamos realizar o treinamento de profissionais de saúde, que serão multiplicadores, ou seja, eles farão o repasse das técnicas do combate à raiva animal no país vizinho”, ressaltou Viviane Ametlla, gerente de Vigilância em Saúde de Corumbá. O Ministério da Saúde brasileiro encaminhou 8 mil doses da vacina para a imunização no País vizinho. “Essas vacinas serão divididas em dois lotes: 4 mil para Quijarro e 4 mil para Puerto Suárez, inicialmente”, contabilizou Viviane.

Os técnicos em saúde bolivianos participam de uma capacitação teórica e são alertados sobre a necessidade de mapeamento da região e o levantamento de materiais que devem ser providenciados para a vacinação. A Bolívia ainda recruta mão de obra, que deverá abranger além dos técnicos em saúde, estudantes de medicina e militares.

A princípio, a ideia é realizar a imunização nos dias 15 e 16 de maio, em Puerto Quijarro, e nos dias 22 e 23, em Puerto Suárez. Essas datas serão confirmadas ao longo da semana pelos representantes dos municípios.

“Nossa fronteira não tem barreiras, a passagem é livre e os animais circulam entre um país e outro. Estamos nesse momento recrutando nossos profissionais de saúde, estudantes da área e militares, para então junto com o Brasil, traçarmos a campanha de vacinação”, afirmou o técnico em saúde, Ronal Salvatierra Correa, de Puerto Quijarro.

Posse responsável

Quinze casos da raiva animal já foram confirmados em Corumbá, além de um caso humano. O paciente, de 38 anos, segue em tratamento em Campo Grande. A Secretaria de Saúde reforça aos proprietários de cães e gatos que mantenham os animais em casa.  “Animais nas ruas correm um grande risco de contrair raiva. Somente na manhã desta terça-feira, recolhemos 15 animais. Alguns proprietários estão vindo retirá-los, porém, se mantê-los nos quintais, esse desgaste é evitado e com certeza, eles correm menos risco de contrair a doença”, frisou Viviane Ametlla.

Os trabalhos de vacinação prosseguiram no bairro Previsul e Guanã ontem (28). A Secretaria Municipal de Saúde e seus parceiros (Secretaria de Saúde de Campo Grande, Secretaria Estadual de Saúde e da Organização Pan-Americana da Saúde), além das Forças Armadas brasileiras, têm a meta de imunizar até o final desta semana, cerca de 25 mil animais.  O Centro de Controle de Zoonoses também está realizando a vacinação em sua sede, no bairro Guanã, das 07 às 17 horas.