14 de maio de 2021
Campo Grande 26º 17º

Cidade do Natal gera desacordo entre os deputados

A- A+

Tayná Biazus

No último domingo a Cidade do Natal, obra da gestão municipal de Nelsinho Trad (PMDB) teve parte demolida. Com o abandono e descaso do local, usuários de drogas eram vistos utilizando drogas, além de ter se tornado um ponto de encontro para alguns. O ato do atual prefeito Alcides Bernal (PP) em querer reestruturar a área gerou um desacordo e vários deputados têm diferentes opiniões sobre o assunto.

De acordo com a assessoria de Trad, na época da construção não houve um valor investido pela prefeitura, a Cidade do Natal foi sendo construída em partes com o valor das doações recebidas. O material utilizado foi o tapume, tipo de madeira estreita usada normalmente como uma cerca provisória em construções para separar a área que está sendo construída da área de passeio.

O deputado estadual Cabo Almi acredita que em primeiro momento a Cidade do Natal foi construída para ficar provisoriamente montada no alto da Afonso Pena, porém, com a exposição diária do tapume ao tempo, a madeira foi desgastando, e a falta de utilização do local e a falta de segurança fizeram com que algumas pessoas se apossassem fazendo o uso indevido. “Se o local põe em risco a população deve se estudar uma maneira para melhorar esta situação, além de estudar a questão física do local”.

Os deputados peemedebistas, oposição da atual administração de Campo Grande, acharam um absurdo da parte de Bernal tomar esta decisão e acabar com um local que já era ponto de referência na Capital. “Eu passei no domingo de manhã em frente a Cidade do Natal e vi com muita tristeza a queda da estrutura, e o Bernal lá, só olhando e comandando, foi um erro isso ter acontecido”, lamentou o deputado Eduardo Rocha.

Já o deputado e irmão do ex – prefeito Nelsinho, Marquinhos Trad, também criticou a atuação de Bernal. De acordo com o deputado sempre houve a segurança e a manutenção do local e somente neste ano, após a posse do atual prefeito é que o local foi esquecido e nunca mais foi utilizado. Marquinhos também aproveitou para dizer que a verba utilizada para a reestruturação deveria ser aplicada em locais como os Ceinfs (Centro de Educação Infantil) que estão em falta.

Parte da nova Cidade do Natal será financiada pela Maçonaria para a construção de um espaço multi uso, já a prefeitura irá arcar com cerca de R$ 150 mil e terá a estrutura de madeira, metal e concreto.