30 de novembro de 2020
Campo Grande 35º 24º

"Ex-prefeitos não investiram em recapeamento e vida útil do asfalto expirou", diz Semy

Para o secretário municipal de infraestrutura transporte e habitação, Semy Ferraz, a grande incidência de buracos no asfalto de Campo Grande é decorrente da falta de investimentos em recapeamento dos ex-prefeitos que só investiram na construção de novos asfaltos por cerca de 30 anos. Depois do ex-prefeito Juvêncio Fonseca (1986–1988/1993-1997), apenas o atual chefe do executivo, Alcides Bernal (PP), teria investido no setor.

“O problema é estrutural, Campo Grande nunca investiu em revitalização de asfalto. Só o Juvêncio que fez recuperação. De lá pra cá, só se fez asfalto novo (ou seja em ruas que eram cobertas apenas por terra e/ou cascalho). O Bernal fez recapeamento na avenida das Bandeiras e na Spipe Calarge. São mais de 30 milhões em recursos próprios para recapeamento. Buraco existe em função do asfalto já estar com a vida útil vencida. Na Bandeirantes, a última revitalização foi no (governo de) Juvêncio, há 30 anos”, declarou.

Segundo o secretário, as operações tapa-buraco muito comuns na administração do ex-prefeito Nelsinho Trad (PMDB) apenas maquiavam os problemas do município. “Tem que parar de tapar buraco e começar a fazer recapeamento. O Bernal prioriza o recapeamento porque o tapa-buraco é a técnica de enxugar gelo, quanto mais enxuga, mais água sai”.

Semy ainda destacou que as águas do lago do Rádio Clube pararam de transbordar com as obras de canalização e criticou o discurso do secretário estadual de Obras Públicas e de Transportes, Edson Giroto, de que favelas começaram a existir em Campo Grande depois que a atual administração assumiu.

“As favelas que existem hoje, ele era secretario e já existiam. O governo dele maquiou a cidade dizendo que não tinha favela. Pelo porte da cidade, temos poucas pessoas vivendo em áreas degradantes. Foi uma grande mentira que tinha erradicado as favelas. O que ocorreu de janeiro pra cá é que alguns políticos estimularam invasões, ali na região próximo ao lixão, Dom Antônio, Jardim das Hortênsias. Estamos trabalhando para ofertar habitações”, alegou.

Semy rebate declarações feitas por Giroto de que prefeitura sumiu com recursos

O secretário ainda rebateu as afirmações feitas por Giroto durante a entrega de placas de acrílico para a construção do Aquário do Pantanal na última sexta-feira. Segundo Giroto, havia um recurso de R$ 184 milhões para construção de um viaduto próximo a fábrica da Coca-Cola, na Avenida Gury Marques, que nunca foi usado.

“Mais uma mentira, o dinheiro do viaduto não está disponível ainda. Está em contratação um empréstimo do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) Mobilidade que depende de aprovação. Entregamos o projeto no final do ano para análise da Caixa (Econômica Federal). Previsão é para fevereiro contratar”, rebateu.

Ações Futuras - O Programa Recape em Ação vai beneficiar também a Avenida Salgado Filho, Avenida Guaicurus, Tiradentes, Dom Aquino, Amazonas, Marques de Lavradio, Rua Calógeras e as avenidas Tamandaré, Mascarenhas de Moraes e Ministro João Arinos, saída para Três Lagoas.

Diana Christie