04 de dezembro de 2020
Campo Grande 33º 24º

Moradores da Vila Margarida reclamam da sujeira e mato nas calçadas

A maioria dos moradores da vila Margarida em Campo Grande parece estar satisfeita com o lugar que, segundo eles é uma das melhores regiões para se morar na Capital. Equipado com escolas, posto de saúde, associação de moradores e uma unidade da PC (Polícia Civil), a população diz não ter do que reclamar, exceto quando o assunto é a limpeza das calçadas e praças do bairro que estão carentes de manutenção.

Não é muito difícil andar pela vila Margarida e avistar um emaranhado de mato e sujeira, que além de impedir a passagem de pessoas causa transtornos com a aparição de insetos. Realidade que já se tornou comum na vida do taxista Agnaldo Lima, 69. Ele relata que convive diariamente com o abandono das vias do local.

 “O bairro é maravilhoso pra se viver, pena que não dão a devida importância pra limpeza, por causa disso os pernilongos tomam conta de tudo por aqui e até escorpião já apareceu na minha casa. Já comuniquei diversas vezes para a prefeitura sobre esse mato sem fim, mas, até agora ninguém tomou providências”, disse Agnaldo.

O aposentado José Pereira, 73, morador da vila Margarida a cerca de 40 anos, também enche a região de elogios, contudo, assim como o taxista Agnaldo faz ressalvas sobre a limpeza. “A prefeitura varre as calçadas toda quarta-feira e não sei como eles não enxergam a quantidade de mato que impede o povo de passar nas calçadas, isso sem falar nos terrenos baldios que tem por aqui. Pra mim esse é o único problema da Margarida”, lembra.

SEINTRHA

De acordo com o secretário municipal de infraestrutura, transporte e habitação, Semy Ferraz, as equipes disponíveis da secretaria têm trabalhado priorizando as praças, pistas de caminhada, avenidas de maior fluxo e a área central de Campo Grande. Semy explica que devido ao efetivo insuficiente, o avanço dos serviços em direção aos bairros da Capital tem sido relativamente lento, porém, ele conta que já foram iniciados os procedimentos de abertura de novas licitações para a contratação de empresas.

“Infelizmente não temos no momento a quantidade de funcionários que gostaríamos. Para atender com excelência é necessário a contratação de cerca de 300 funcionários, no entanto, já foram iniciados os procedimentos para iniciar quatro licitações para contratar empresas que vão nos auxiliar nos trabalhos”, afirma.

Semy lembra também da necessidade da parceria da comunidade com a administração da cidade. “Existe um problema muito sério que é a respeito da educação. Muitas pessoas fazem a limpeza dos quintais e jogam o lixo nas ruas, é preciso usar o bom senso e trabalhar em parceria com a prefeitura”, completa.

Clayton Neves