19 de janeiro de 2021
Campo Grande 27º 21º

População está entusiasmada com a vinda de profissionais do “Mais Médicos”

Tayná Biazus e Clayton Neves Os moradores do bairro Jardim Batistão presentes na UBSF (Unidade Básica de Saúde Familiar) estavam aguardando com ansiedade a médica Libia Hernandez que chegou ao local por volta das 10 horas desta manhã. Libia chegou à UBSF visivelmente animada e empolgada, e foi recebida pela gerente da unidade. Após se identificar a imprensa presente a nova médica foi encaminhada à uma reunião fechada com a gerência da Unidade. A população está confiante no trabalho de Líbia, porém ainda teme que os agendamentos das consultas sejam difíceis de serem feitos, que as consultas demorem a acontecer e principalmente que o tempo em que ficam esperando na fila seja grande. Foto: DivulgaçãoO mecânico Antônio de Souza, 65, é dependente do UBSF e comenta que a realidade hoje é a falta de profissionais. “Já que no Brasil falta médicos e os que têm não querem trabalhar na rede pública, que mandem os cubanos”. O mecânico espera que seja realizado um bom trabalho pela médica recém chegada e espera também que ela atenda a população da melhor forma possível. Antônio acrescenta que desde as 7 horas estava esperando que o seu atendimento fosse realizado. “ Mesmo com a vinda de novos médicos, é preciso mexer na estrutura da saúde de Campo Grande”, frisa. Para Maria do Socorro, 64, aposentada o atendimento dos médicos em muitas vezes chega ser 60% da consulta realizada. Ela espera que Libia tenha atenção e cuidado, além de muito carinho com os seus pacientes, pois muitos médicos não tem essa postura em seus atendimentos. Maria também reclama da demora em marcar consultas e para ser chamada para os atendimentos, além de o sistema de saúde e os postos estarem em situações precárias.