14 de agosto de 2020
Campo Grande 35º 22º

Professores reivindicam direito a vaga

Estão reunidos, em frente à prefeitura municipal de Campo Grande, cerca de 15 professores que ainda não foram chamados do concurso de 2009. Em torno de 281 professores estão esperando para serem chamados para trabalhar na Reme (Rede Municipal de Ensino) e nos Ceinfs (Centro de Educação Infantil) da Capital. São professores de  educação física, educação infantil, geografia e espanhol.

No início do mês, os professores se deslocaram até à Camara Municipal com cartazes e faixas pedindo a nomeação para atuar. O concurso realizado em 2009 vence em janeiro próximo, porém, ainda há 281 professores esperando sua vaga.

Os manifestantes não quiseram se identificar com medo de retaliação, mas prometem ficar na prefeitura até às 17 horas e se preciso, irão se deslocar até a casa do prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), protestar os direitos. Conforme explica um dos manifestantes, foi publicado do Diogrande (Diário Oficial de Campo Grande), no dia 30 de julho que ainda existiam 1.316 vagas puras.

Os professores reclamaram da postura do secretário de administração, Ricardo Ballock, pois no dia em que deveria se apresentar para conversar, foi entregue um atestado médico dizendo que não poderia comparecer à reunião. Na semana passada, quando foram à Câmara, o prefeito apresentou um atestado oftalmológico, e no dia em que o secretário municipal de educação, José Chadid, prestou esclarecimentos, afirmou que existem 1536 contratações temporárias no município, sendo que desse total, 698 são professores que se encontram em licença e não explicou as vagas restantes. Além disso, contraditoriamente anunciou que será aberto novo concurso no próximo ano.

Os manifestantes se encontram desde as 8 horas protestando. Na prefeitura há a presença de cinco guardas municipais

Tayná Biazus e Diana Christie