10 de agosto de 2020
Campo Grande 32º 19º

Professores vão entrar em greve se governo demorar a apresentar proposta de reajuste

Os professores da rede estadual de ensino podem entrar em greve caso o Governo do Estado não apresente proposta de reajuste salarial. De acordo com o presidente da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul), Roberto Botareli, os professores reivindicam que os salários sejam adequados ao piso nacional para 20 horas.

“Queremos o escalonamento político salarial para 20 horas. A educação não pode ser valorizada somente na época de campanha durante um discurso no palanque. O professor é a profissão que tem o menor salário para nível superior dentro do serviço público”, declarou.

Segundo Botareli, o piso nacional é de R$ 1567 para 20 ou 40 horas. Ele explica que, em Mato Grosso do Sul, o salário base dos professores está dentro do piso nacional de 40 horas, mas 20,5% abaixo do que pode chegar se for considerado o piso para 20 horas. “O salário do professor é muito baixo. Nosso objetivo é a valorização do profissional”, completa.

Em reunião realizada na quarta-feira, dia 13, o Conselho de Presidentes da Fetems e dos 72 Simteds (Sindicatos Municipais dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul) decidiram que a categoria aguardará até o dia 30 de novembro por uma contraproposta por parte do Governo do Estado. Caso isso não aconteça, os professores farão uma paralização no dia 03 de dezembro.

“Se o executivo enviar projeto de lei para a Assembleia Legislativa depois do dia 12, vamos pedir para os deputados não votarem porque não tem como discutir a proposta. As pessoas estarão no período de férias e não tem como reunir. Nesse caso, os professores podem entrar em greve por tempo indeterminado e até não começar o ano letivo de 2014”, concluiu Botareli.

Diana Christie