27 de janeiro de 2021
Campo Grande 30º 23º

Registro de nascimento poderá ser feito em hospitais de municípios do Estado

O número de bebês nascidos e não registrados ainda é grande no Estado. De acordo com o último Censo, cerca de 23.691 crianças com até dez anos não possuem o registro de nascimento e pensando nisso, o governo estadual, federal e os cartórios civis de Mato Grosso do Sul irão instalar em hospitais de 28 municípios do interior do Estado e de Campo Grande um espaço para que essas crianças sejam registradas.O sistema é inspirado em um já existente, no estado de Pernambuco. “Com o sistema, os cartórios poderão emitir certidões em 28 municípios. Nenhuma criança irá sair sem certidão” afirmou Yrama Barbosa de Barros, superintendente da política de direitos humanos. O Governo do Estado investiu R$ 42 mil em cadeiras, impressoras scaners, armários e outros equipamentos para serem instalados nos hospitais. Em contrapartida, o Governo Federal investirá R$ 369 mil. Os hospitais que disponibilizarão desse serviço são aqueles que fazem mais de 300 partos por ano pela rede SUS (Sistema Único de Saúde). Os indígenas e aqueles que residem em região de fronteira também serão contemplados. De acordo com a secretária da Setas (Secretaria de Estado de Trabalho e Assistência Social), Tânia Mara Garib, ela já presenciou situação de indígenas de 103 e 110 anos que não possuíam o registro. O governador do Estado, André Puccinelli (PMDB), acredita que a ação é muito importante, pois todos poderão ser registrados no local do nascimento, facilitando assim a vida das pessoas. “ As crianças serão contempladas e haverá a integração do hospital com os cartórios, para que ao nascer elas sejam registradas”, acrescenta. Tayná Biazus